quinta-feira, dezembro 28, 2006

Encomedas de Natal - de manas para manas


Uma colega encomendou esta tela para oferecer às meninas de uma grande amiga neste Natal. E, ao que parece, gostou tanto que nem esperou por embrulhar o presente.
Não chegámos a saber bem a reacção da Rita e da Daniela quando o viram pela primeira vez, só que gostaram e que no desenho reconheceram uma relação de amor e proximidade que se deseja para toda a vida - como a das irmãs que o fizeram... Mas, muito sinceramente, o que mais gozo nos deu foi saber a reacção do pai, que «sem ser nada dessas lamechices», ficou todo enternecido de ver ali as suas meninas. Que bom...

Rita

quarta-feira, dezembro 27, 2006

Viana do Castelo - Natal 2006

E lá se passou mais um Natal, com lareira, presentinhos e votos de saúde.
Agora vêm os projectos e desejos para o novo ano.
Ana Cristina

terça-feira, dezembro 19, 2006

Frio


E parece que vem aí o frio... frio a sério... brr, tremo de pensar no gelo que vai estar em Viana do Castelo daqui a uns dias... mas sem neve, que pena...
Rita

segunda-feira, dezembro 18, 2006

A Árvore ou o Pinheirinho


Lá em casa tínhamos uma Árvore de Natal muito raquítica, diga-se em abono da verdade.
A maior parte das vezes tinha que ser posta em cima de um móvel, de forma que me lembro de, durante muito tempo, ser o presépio a ficar ao nível dos meus olhos. Eu podia brincar com ele e cheguei a ter a mania de esconder o menino Jesus até ao 25... afinal, não fazia sentido ele andar por lá até à data, correcto? Também cheguei a juntar estrunfes ao presépio, eu adorava brincar com estrunfes e estes eram mesmo daqueles de Natal, cheios de presentes e com os barretes vermelhinhos em vez dos habituais brancos.
Em compensação, em Viana do Castelo a Árvore de Natal que nos esperava era sempre grande, verdadeira e chamava-se Pinheirinho. A decoração era diferente, havia as bolas, mas também os chocolates (divididos irmamente, ou melhor, irma e primamente por mim, pela Cristina e pela Lili) e, principalmente, os bonecos. Acho que os meus tios os tinham trazido de França e eram os enfeites mais bonitos que eu já tinha visto. Pendurados, não era suposto darem para brincar, mas mesmo que só para ver, cumpriam magnificamente o seu objectivo.
Olho para a árvore que enche agora um canto da minha sala e penso como irá ser, no futuro, a ideal para a Alice. Talvez ela não venha a achar piada a uma tão grande e opte por uma que se coloque em cima de um móvel. E os enfeites, se calhar vai preferi-los em duas ou três cores. Um dia pode até pensar "quero só bolas, nada daquela bonecada toda que havia na da minha mãe". No entanto, com toda a certeza, a árvore será para ela como para mim: bilingue.
Rita

domingo, dezembro 17, 2006

Rita, minha irmã Rita

Quando acordámos, de uma noite bem agitada (pela expectativa e porque nunca dormíamos juntas), eu a Tina recebemos a notícia que tinha nascido uma menina.

A alegria foi tanta que assim que cheguei à escola contei logo que já tinha uma irmã.

Claro que eu queria um rapaz e ainda sugeri à família do lado trocarmos os bebés, visto que assim repetíamos os sexos, mas a proposta não foi aceite e contentei-me com o que me tinha calhado em sorte.

Numa infância feliz recordo momentos, lugares, bonecos, professores e situações que podem nem ter sido especiais, mas o nascimento da minha irmã foi dos momentos que mais me marcou. O marco que dividiu o “Antes de Rita” do “Depois de Rita” trouxe-me a sensação de “não mais sozinha”. Passei a contar com aquela mãozinha que apertava quando algum pesadelo não me deixava dormir, com o tempo que dedicava a brincar com a miúda vários anos mais nova, com o apêndice que me seguia pra todo o lado, com a idolatração (e que sempre me fez muito bem ao ego).

Hoje, sem grande inspiração para escrever umas palavras bonitas, dou parabéns à Rita, minha irmã, minha melhor amiga, uma mulher muito especial.
Ana Cristina

terça-feira, dezembro 12, 2006

Ficam as recordações...

“A Morte é certa. A ela ninguém escapa, nem o Rei nem o Bispo, nem o Papa.
Mas eu hei-de escapar. Compro uma panela, meto-me dentro dela.
E a Morte vem e diz:
- Aqui não está ninguém. Boa noite meus senhores. Passem todos muito bem.”

Esta cantilena aprendemos de pequenas com a Avó Joana. Como se dum teatro se tratasse, fazíamos gestos, e fingíamos tapar-nos com a tampa da panela.

A avó Joana encheu as nossas infâncias de pequenos mimos, de histórias antigas, de cantigas, de roupa para nós e para as bonecas. Foi uma AVÓ.

A avó Joana esteve dentro da panela desde Junho. Hoje destapou a tampa e foi vista.
Deixa muitas SAUDADES.
Ana Cristina
Rita

sábado, dezembro 09, 2006

Preparam-se...

... novas carteirinhas que seguirão para outras mãos. Em breve mostrarei estas e outras que estão numa outra fase da preparação.
Ana Cristina

quarta-feira, dezembro 06, 2006

Baú de Recordações II

Duma caixa cheia de histórias e de pequenos livros pintados por nós, surgiram os meus livros da escola primária. Dos dois, o “Livro de Leitura da Segunda Classe” foi o que me deixou mais recordações. Lembro-me de quase todas as suas histórias: do “Amigo” que ia todos os dias brincar com a menina que não podia sair do jardim, da história do “Piloto”, um cão que defendeu a sua família sem fazer mal a ninguém. Mais uma vez guardei estas recordações, desta vez com os livros da infância e algumas bonecas, que um dia mostrarei.

Vou dedicar-me agora aos livros da escola actual, que estão à espera que eu me debruce sobre eles com intensidade. Deixarão recordações tão duradouras como os da segunda classe??


Beijinhos a todas as nossas visitas.
Ana Cristina

domingo, dezembro 03, 2006

Quase...

Uma primeira volta a sondar as prendas de Natal e o resultado: seria completamente disparatado propor uma "lista de aniversário", semelhante às dos casamentos, à Promod?! Tem umas túnicas e saias e camisolas e tudo e tudo e tudo tão girooooooooooo...
Pessoal indeciso e hesitante, o dia está a chegar, todos à Promod!!!!
Rita

sábado, dezembro 02, 2006

sábado, novembro 25, 2006

"Fácil de entender" ...?

Talvez por não saber falar de cor, imaginei. Talvez por não saber o que será melhor, aproximei. "O meu corpo é o teu corpo, o desejo entregue a nós." Sei lá eu o que queres dizer... Despedir-me de ti, adeus um dia voltarei a ser feliz... Talvez por não saber de cor, aproximei... Triste é o virar de costas, o último adeus sabe Deus o que quero dizer. Obrigado por saberes cuidar de mim, tratar de mim, olhar para mim, escutar quem sou... E se ao menos tudo fosse igual a ti.
Eu já não sei se sei o que é sentir o teu amor, já não sei se sei o que é sentir. Se por falar falei, pensei que se falasse era fácil de entender...
É o amor que chega ao fim, um final assim assim é mais fácil de entender...
The Gift (Nuno Gonçalves)
A minha música do momento, para todos vós...
Rita

quinta-feira, novembro 23, 2006

Seguiu uma encomenda...

Calças de ganga pintadas com jardins floridos são, talvez, das peças que mais nos marcam como Oficinas RANHA. Em tempos tivemos oportunidade de explicar como as flores fizeram parte das primeiras experiências em pincél das Oficinas.
No ano passado pintámos umas calças para a Rita (com dois anos) e outras para a Sara (com oito) que foram um sucesso e que foram as responsáveis pelas da Marta. Agora recebemos uma encomenda para umas calças de adulta, segundo os moldes das últimas (com direito a borboleta e tudo).
O resultado foi este, que também pode ser observado aqui. Mas antes de seguirem tiveram que ser muito bem observadas e aprovadas pelo "Pilas". Fica o registo.
Beijinhos para todas as nossas visitas.
Ana Cristina

quarta-feira, novembro 22, 2006

Cansaços e frustrações

Ando frustrada. De cada vez que acaba o jantar, só tenho vontade de me aninhar no sofá. Sei que até tenho razões plausíveis para andar mais cansada. E sei que os tempos não andam para graças, que se me animasse com os trabalhos e encomendas das Oficinas, distraía-me mais e andava melhor, mais satisfeita. Mas o jantar acaba, aninho-me no sofá, enrolo-me no saco-cama e adormeço pouco tempo depois (em todo o caso, já depois das 23...). Chateia-me isto, a falta de vontade de permanecer acordada a fazer o que gosto.
Vim cá só mesmo para desabafar. Antes de ir para o sofá. Porque já bocejo.
Rita

segunda-feira, novembro 20, 2006

Cinema ao fim de semana


Já li o livro há uns anos, mas recordo-me do prazer com que o fiz, aquele que tenho quando encontro uma história bem imaginada e bem escrita. Ficou-me a noção geral do enredo e o fascínio por encontrar um livro sobre algo que na minha vida é tão importante: o olfacto.
Quando vi o filme anunciado, pensei para mim que iria ser, como são quase todos os adaptados de livros, uma desilusão. Surpreendeu-me pela positiva. Não sei o que pensaria se fosse ler o livro novamente, mas a esta distância da primeira vez que o fiz, pareceu-me uma boa adaptação.
Aconselho-o aqui, para os que quiserem rever a história, passar os olhos por uma boa fotografia, imaginar tempos idos sem a magia higiénica das novelas e séries. Também para os que gostam de um filme sem palavaras demais. E, mais do que tudo, para os que estejam dispostos a analisar a possível metáfora por trás do livro: afinal, "O Perfume" pode não ser mais do que a história do que é capaz de fazer um homem, incapaz de amar e ser amado por circunstâncias da vida, para saber a que correspondem esses sentimentos.
Rita

sexta-feira, novembro 17, 2006

Um Tiago cavaleiro

Apesar da ideia inicial não ser esta, a P. achou que o nosso cavaleiro era "a cara" do seu Tiago. No entanto, como o rapazola em questão, de ruivo não tinha nada, a pintura submeteu-se a cirurgia estética.
Colocado na parede de surpresa, o nosso cavaleiro a brincar surpreendeu o cavaleiro a sério. De risinho nervoso (que, como diz a mãe, é como ele fica quando gosta de algo), disse então que também tinha «um cavalo daqueles», mas de cor diferente. E não achou grande piada à parede atrás... que, por mera casualidade, até «parece a do mano».
O que importou mesmo foi saber que, no geral, tinha gostado.
Rita

terça-feira, novembro 14, 2006

Não, não fugi ...

Eu sei que há muito dias que não venho aqui deixar umas palavras e tenho umas explicações para vos dar.

Em termos pessoais arrumo ideias, preparo espaço na secretária e local para guardar dossiers e apontamentos, para um período de muito estudo e trabalho extra. Iniciei este mês esta nova fase da minha vida, com expectativa e ansiedade.

As Oficinas não têm estado paradas mas a meio gás, com novos projectos e algumas encomendas. Muito pouco tempo para trabalhar e concretizar essas ideias criativas e uma nuvem de desânimo a toldar as nossas mentes não ajudam a sua realização.

Mostro a fotografia de uma das ultimas criações das Oficinas RANHA, um anel feito por encomenda para uma menina que volta para a sua terra. Dentro de uns dias este anel viajará por terras de Sevilha, e passamos fronteiras a caminho de todo o MUNDO
.
A todas as nossas visitas, até breve.
Ana Cristina

sexta-feira, novembro 10, 2006

Afinidades 2


A Fera, agora, foge da Alice. Muito sinceramente, eu também fugiria se tivesse alguém atrás de mim o tempo todo, com olhos de adoração plena, mãos pequeninas mas pesaditas a fazer festas e guinchos de satisfação prontos a qualquer hora.
Não deixa de ser curioso. A Fera, que é um doce com qualquer pessoa, faz jus ao seu nome com os restantes animais. À excepção do Pilas, a filha-gata cá de casa tem um verdadeiro mau feitio com os seus congéneres de quatro patas. E, obviamente, com as crianças pequenas que nos visitam.
A Alice é perfeitamente tolerada e tem direito até a oferecer mimos. No entanto, o comportamento obsessivo dá direito à escalada para locais fora do seu alcance... e fotografias como esta têm carácter raro e digno de exibição.
Rita

quarta-feira, novembro 08, 2006

Coisas cá de casa


Conheci a Margarida Botelho por casualidade e de relance, numa aula de Danças Europeias, em Almada. E qual não foi o meu espanto quando, pouco tempo a seguir, encontro-a com um stand na FIA, rodeada de trabalhos lindos e coloridos...
Este foi o primeiro quadro que comprámos para a nossa casa. E, mais propriamente, para pôr na casa de banho. Sem qualquer desprimor para o quadro; afinal, o problema reside na falta de hábito com que se decora as paredes das casas de banho...
O quadro da Margarida Botelho é lindo, de uma lindeza que têm as coisas que nos fazem sonhar e nos deixam descobrir sempre algo de novo de cada vez que olhamos para elas. Não passa despercebido a ninguém que nos visita, mas merece ser visto por toda a gente.
Rita

O trabalho da autora pode ser visto nas ilustrações de alguns livros infantis, mas infelizmente já não o consigo encontrar em site.

quinta-feira, novembro 02, 2006

O tempo

Hoje reparámos, quando vínhamos a pé do trabalho para irmos buscar a Alice, que já é noite à hora de saída...
Desde que a hora mudou que é manhã quando acordamos mas noite quando voltamos para casa. É estranho este fenómeno... porque, na verdade, temos o mesmo número de horas até nos deitarmos, mas a ilusão de nos terem cortado uma fatia do dia... Em compensação, custa menos acordar com a frincha de luz a entrar pela casa...
O pior mesmo é a chuva, esta irritante chuva que nos faz ter de pensar numa roupa que depois não combina com a temperatura. Porque é que não chega o frio de uma vez...? Eu sempre saberia o que me vestir e à Alice e acabariam de uma vez os atrasos de manhã para ver o tempo no teleponto e decidir só aí, em cima da hora.
Tenho no corpo a saudade da areia da praia e das camisolas de alsas e na cabeça o apetite das golas altas e dos casacos quentinhos... vontade do que se sabe ser uma inevitabilidade...
Rita

segunda-feira, outubro 30, 2006

Mais uma prenda...

Há umas semanas ofereci, pelo seu aniversário, uma das obras das Oficinas à minha sogrinha...
Deu imenso gozo tentar projectar uma camisola que lhe pudesse agradar, diferente do que é o nosso costume mas que mantivesse a nossa imagem. Gostei do resultado, um tanto ou quanto mais sóbrio e clássico do que o usual... e só tenho pena de ainda não a ter visto vestida...


Rita

sábado, outubro 28, 2006

As pausas também podem ser úteis

Uns momentos de desânimo, a necessidade de suspender as criações das Oficinas RANHA para encontrar o caminho que desejamos, o assentar de ideias, fizeram com que este blog (e as Oficinas) estivessem estado em stand-by na semana que passou.

Hoje, depois de uma conversinha rápida e de uma troca de emails para manter a nossa linha condutora e de uns telefonemas, o desânimo começa a transformar-se em ideias para dar continuidade às criações Oficinas RANHA. Na lista temos; um candeeiro para o quarto da Rita, umas calças de ganga para pintar, uma tela para fazer, algumas carteiras encomendadas e alguns projectos por iniciar ou concluir...

E mostro três anéis da Linha Bijuteria Oficinas RANHA. Feitos com almofadinhas pintadas e bordadas, que caracterizam as nossas peças, aplicadas a uma base de anel ajustável a qualquer dedo. Seguiram para a Loja.

Ana Cristina

quarta-feira, outubro 25, 2006

Mais um filme

Hoje fomos ver "A Dália Negra" e, ao contrário do que eu esperava, não achámos muita piada...
Confesso que tinha grandes expectativas em relação a este filme, devido essencialmente às participações da Hilary Swank (cujas prestações são sempre muito boas) e da Scarlett Johansson. Talvez por esperar determinada qualidade, senti-me um pouco defraudada.
Explicação: a fotografia é bonita, a voz de Josh Hartnett como actor-narrador é linda (aliás, todo é ele é... digamos que uma bela presença) e resulta muito bem numa de filme tipo episódio de série detectivesca à anos 40.
No entanto, a história deixa a desejar, é muito confusa e envolve policiais dentro de policiais, de tal forma que a certa altura nos interrogamos se os restantes espectadores terão percebido algumas ligações ou se seremos nós que estamos taralhocos... Do dito famoso caso da Dália Negra, o filme tem, no fim de contas, muito pouco. Enfim, para quem esteja na dúvida, pode esperar pela forma televisiva deste entretenimento.
E nós que não quisemos esperar mais uns minutos pelo "Volver"...
Rita

sexta-feira, outubro 20, 2006

Baú de recordações


Por aqui abrem-se caixas e malas de recordações. Aproveitam-se as arrumações na casa dos pais para lembrar brinquedos e jogos de infância. Tiram-se fotografias para não esquecer e poder mostrar mais tarde.
Lembramo-nos de todos, mas alguns tiveram especial atenção durante as nossas brincadeiras.
Entre eles, a "Mala da Enfermeira" (que por acaso até é uma cesta) onde guardávamos o estetoscópio, as seringas e algodão, o termómetro, os frascos dos comprimidos, muitas bulas de medicamentos e as fichas de tratamento que elaborávamos para cada doente.
E tanto as amigas, como a Rita, lembram-se que usávamos esta cestinha muitas vezes, porque todas as brincadeiras passavam por um periodo em que era necessário tratar doenças graves, de recuperação prolongada.
Na altura ainda não sabia que havia bebés a necessitar de cuidados de enfermagem ...
Ana Cristina

quarta-feira, outubro 18, 2006

Cheias de "latosa"...


Numa semana que até agora foi pouco bloguística e artística mas que já teve direito a:

- grandes birras de uma filha de catorze meses que por três vezes não quis fazer as suas sestas e até provocou o vómito (com vitória última dos seus pais, que são umas feras...);
- intoxicação de uma mãe por inalação de tintas a óleo com que andou a pintar ombreiras (raios partam as "pequenas" obras desta casa que nunca mais acabam!);
- torcicolo de uma mãe devido às posições que adoptou para andar a pintar as ditas ombreiras (grrr!, idem idem aspas aspas);
- retorno da tia ao trabalho (coitada...);
- grandes birras de uma filha que teima em não querer comer e até provoca o vómito (com vitória última dos seus pais, que são umas feras, mas umas feras um tanto ou quanto cansadas no final de cada refeição...);
- noites mal dormidas de uma mãe por ansiedades relacionadas com o trabalho...

... só resta mostrar uma parte de um conjunto de latas que se anda a preparar por estes lados. É um aproveitamento daquelas latas de leite em pó para bebé, lindas e grandes... E o objectivo era mesmo arranjar uns recipientes para guardar bijuterias. A fotografia não está perfeita, mas eu adoro-as... É que, tantos dias volvidos, era uma grande lata não mostrar nenhum trabalho feito!

Rita

sábado, outubro 14, 2006

quinta-feira, outubro 12, 2006

Carteirinhas

Mostro as cinco carteirinhas de tetrapack do modelo da anterior. Pintadas à mão, com correcção de pequenos defeitos encontrados na primeira. Seguem esta semana para a loja, quando tiver as próximas cinco terminadas.

E não se esqueçam de visitar a Loja, que entretanto já tem novos produtos Oficinas RANHA (dez colares da Linha Bijuteria).
Ana Cristina

segunda-feira, outubro 09, 2006

Rouparia


Por ser a filha caçula, a prima mais nova e uma miúda bem pequena e fininha para a idade, sempre herdei roupa de todos os quadrantes. E adorei. O meu roupeiro estava sempre cheio e, durante muitos anos, a cada mudança de estação, tinha de me reunir com a minha mãe e a arca da roupa para ver o que ainda servia, as bainhas que era preciso descer, o que eu tinha deixado de gostar, etc e tal. Tirando o cheiro da naftalina, recordo-me de gostar sempre do ritual.
A minha filha tem, por enquanto, igual sorte. Roupa linda herdada da irmã do afilhado da sua mãe e emprestada pelas amigas com filhas. Para além da oferecida, é claro.
Acho que um dia até vou gostar de meter e tirar as roupas da Alice de dentro dos caixotes... mas agora, enquanto ela não tem idade para as experimentar e andar a rodopiar pela casa, toda contente, como eu fazia... e mesmo sem a naftalina... eu abomino estar rodeada de sacos de roupa para uma mesma idade mas com tamanhos diferentes, roupas grandes e pequenas, roupas interiores e exteriores, roupas de Verão e roupas de Inverno, sapatos, ténis e sandálias, cachecóis e barretes, chapéus e fatos de banho... e não saber como as agrupar e encaixotar, mesmo que os caixotes estejam mesmo ali em cima do roupeiro e que possa aceder a eles sempre que quiser e precisar... Socorrooooooooooooooooooooooo!!!!!!
Rita

sábado, outubro 07, 2006

Actualizações em curso

Porque vos espreito quase diariamente.
Porque não queria que este espaço fosse exclusivamente um blog de pessoas que gostam muito de fazer umas coisas bonitas que gostam de mostrar.
Porque gosto dos "diários" disponíveis na net, que nos dizem algo sobre as suas autoras. Mas porque tenho o trauma da escrita (acho sempre que não me sei explicar por escrito e que escrevo mal), só hoje resolvi responder a um dos desafios que nos foi proposto, escrever seis coisas sobre mim. Aqui vão:
1º - Em pequena queria ser enfermeira. Depois deixei de querer e, com todas as dúvidas que podem surgir quando vemos que estamos na altura de decidir o nosso futuro, resolvi tentar. Sou enfermeira, já há uns anos. E, se fosse hoje, voltava a tentar...
2º - Sempre gostei de fazer desenhos muito pequeninos. Lembro-me de um dia fazer um desenho para um folheto de propaganda. Fiz um desenho tão pequenino que não foi preciso reduzi-lo para caber no folheto tamanho A5.
3º - Adoro papelarias e livrarias. Não sei, perco-me nelas...
4º - Em criança sonhei ter cabelo comprido e fazer uma trança. Acho que foi a Jo das "Mulherzinhas" que teve a culpa. Reparo nos belos cabelos compridos daquela gente que devia ter vergonha quando diz que antes queria ter cabelo liso, ou ter menos cabelo. Chego mesmo a comentar do tipo "Olha o cabelo dela, tão bonito." Mas hoje em dia digo, invariavelmente , logo de seguida: "Se fosse eu cortava-o". Ou seja, rendi-me aos cabelos curtos. Uma pessoa não pode passar a vida a sofrer, não é? Vingo-me no carnaval e ponho sempre aquelas cabeleiras farfalhudas, compridas, que tapam metade da cara.
5º - Adorava ter espaço. Espaço para montar o cavalete e não ter de desmontar. Espaço para não ter de andar a medir o pouco espaço que tenho.
6º - Um dia gostava de ser mãe...
Mas como já sou tia deixo-vos uma fotografia nossa. De uma tarde de passeio tia e sobrinhita.
Ana Cristina

quinta-feira, outubro 05, 2006

Estão feitos


Os novos colares estão prontos. Fazem parte da Linha Bijuteria Oficinas RANHA, assim como estes dois, que podem ser vistos aqui: 1a, 1b, 2a e 2b. Os novos colares, assim como os anteriores são de dupla face. Seguem amanhã para a Loja.
Em preparação está um grupo de 5 anéis, e umas carteirinhas...
Ana Cristina

segunda-feira, outubro 02, 2006

Até que enfim...!!!!

... é o que pode dizer o pessoal que nos lançou desafios nos últimos dois meses e que teve de esperar até agora para os ver respondidos... e pela metade...

Para a Macati, que ambicionava espreitar para o interior de uma caixa de costura tão pouco profissional como a minha, cá vai:


Nunca tive hábitos de costura. As minhas primeiras linhas e agulhas de moça-dona-da-sua-própria-(hipoteca-sobre-uma)-casa-e-que-já-não-pode-recorrer-às-da-mãe foram de má qualidade, vinham todas juntas numa embalagenzinha de plástico infantil... hoje encontram-se guardadas numa caixa tupperware pouco romântica mas própria para o efeito, oferecida em segunda mão, pela Prima Ana. É aí que se acumulam botões, linhas, lantejoulas, missangas, tesoura e um dedal... de plástico (que, como é óbvio, dá um jeitão, eheheh!)... Para ajudar ao ajuntamento de tal material, uma caixa de lata "emprestada" pela mãe (que é como quem diz trazida lá da casa quase sem ela dar por isso)... cheia de botões, daqueles preciosos, únicos, retirados há uns anos de roupa outrora usada... magníficos!
Por sua vez, para a Rutinha, seis (tantas!) coisas aleatórias (o mais possível...) sobre me, myself and I:
1ª sou um bocado paranóica com o colorido... gosto de tudo às cores (casa, roupa, objectos, espaços...) e a minha vista atrai-se, entre dois escolhas, por aquela que é mais colorida... E falo em paranóia porque, no que toca a decorar a minha casa, por exemplo, quase se poderia falar em... obsessão...?!
2ª tenho problemas em relação a pontualidade e organização de tempo... nunca faço as pessoas esperar por mal e juro que não é o egoísmo que me motiva, sou capaz de acordar muito mais cedo para chegar a horas a um encontro pela manhã... o tempo escorre-me por entre os dedos sem eu perceber como, quando olho para o relógio ou o João me chama a atenção, zás!, já estou atrasada!
3ª apesar de em tempos já ter sido muito gulosa (tanto quanta gulodice é necessária para se comer uma lata de leite condensado às colheres...), hoje sou muito mais adepta de salgadas do que de doces e dispenso bem um bolo, um gelado ou um chocolate... sem esforço.
4ª adoro projectos e planos (daí as listas). O meu grau de felicidade mede-se na directa proporcionalidade dos projectos que ocupam a minha cabeça para o meu futuro, o próximo ou o longínquo.
5ª dentro, talvez, da mesma ordem de ideias, apesar de ser sonhadora, só sonho com coisas realizáveis. Nunca com o ganhar euromilhões, totolotos, etc. e tais... o que é óptimo.
6ª à falta de melhor, o que o João se fartou de insistir para eu pôr e que eu não queria porque não queria... «põe que és teimosa»... ná, não deve ser verdade...
Já está, demorou, mas não doeu... E agora, a quem passar: Aramar, Alma Minha, Cloinca, Anocas, Eglair, à Rutinha o primeiro desafio e à Macati o segundo... E fico à espera!
Rita

sábado, setembro 30, 2006

Futuros colares...


Estou em preparação dos novos colares de dupla-face. As almofadinhas já estão pintadas. Falta bordar, fechar, encher, escolher os fios, e as pontas ...
Para breve, espero (que fazer estes colares demoooooora). E ao mesmo tempo já estou a pensar nas próximas obras. Pode ser que para a semana, com os dias de descanso do trabalho, consiga pôr em ordem alguns dos assuntos pendentes.
Ana Cristina
E, para quem estiver interessado, a Alice já está melhor. Diagnóstico: Otite. Tratamento: ficar em casa com a sua mamã, muitos mimos e brincadeiras com a sua titi, e é claro, antibiótico.

quarta-feira, setembro 27, 2006

...

Eu sei que é só febre.
E, até agora, nem sequer chegou aos 39º.
E acho que até conseguiria estar bem se a visse sempre a brincar, a "tagarelar" pela casa toda, a rir, a trepar, mesmo que acompanhada pela maldita febre.
E sei que estamos a fazer tudo o que podemos e devemos.
E que as primeiras 24 horas é que devem ser as piores, que depois o organismo começa a reagir.
E que lhe está a nascer um dente e pode ser só isso.
Mas o que me desorienta mesmo, o que me custa, o que me deixa infeliz e com um nó de angústia no peito é quando a cabeça a ferver começa a pousar na minha perna, quando o gemidinho de mimo começa a acompanhar o pedido de colo e os meus braços, o meu abraço e eu toda não chegam para afastar o mal estar que causa o ar murchinho dela...
Rita

terça-feira, setembro 26, 2006

Dupla face ao pescoço!




















Foi com um duplo prazer que, como prenda de aniversário atrasada, ofereci um dos nossos colares à minha querida cunhadinha... O colar tem uma particularidade única na bijuteria que fizemos até agora: é dupla-face. E é lindooooooo...
Aquela que se tem intitulado por aqui como Pocahontas, merecia mesmo uma coisa assim, porque também ela é uma pessoa linda que, para além de ser uma entusiasta pela vida em geral é-o pelo nosso trabalho em particular. («Deem-me sempre coisas feitas por vocês, eu adoro!!»)
Não sei se já te disse isto miúda, mas eu também adoro ter-te como cunhada!
Rita

segunda-feira, setembro 25, 2006

domingo, setembro 24, 2006

Três semanas...


Eis-me de novo por aqui, a mim, literal cara metade deste blog, de volta de umas bem merecidas três semanas de férias... contraditória e estranhamente, é o período maior que nos cabe na rifa mas é sempre pouco... delas ficam, para relembrar, fotografias como a que vos deixo, de um belo fim de tarde de maré baixa por praias vicentinas...
Para recomeçar em beleza, tenho nesta época, e suponho que terei sempre, aquela mania de projectar a vida, tipo ano lectivo... (Será um sinal significativo de que os anos como estudante ainda suplantam os de trabalhadora, não?!) Na minha cabeça desenha-se uma enorme lista de decisões... ele é projectos para novas obras das Oficinas, objectivos novos para o trabalho, planos a nível doméstico...
Vá, deem-me as boas vindas!!!!!!!
Rita

quarta-feira, setembro 20, 2006

Há hábitos que não se perdem

Todos nós temos preferências.
Gostamos de dormir sempre do mesmo lado da cama, de sentar no mesmo local à mesa, de determinadas comidas, e até de comer sempre com os mesmos talheres (como eu, por exemplo).

A Fera em 2004, numas férias que passou cá em casa

A Fera sempre que vem cá a casa passar umas férias, porque esta é a sua segunda casa, gosta de rosnar para o Pilas nos dois primeiros dias, se disputar de manhã o lugar na cama encostadinha às minhas pernas, de aproveitar e saltar para o meu colo quando estou ao computador, de comer o cacto, e passados uns dias de vir tentar mamar na minha orelha como faz com a dona e quando corro com ela lembra-se que em tempos dormia em cima do monitor enquanto eu fazia os meus longos trabalhos. Acontece que o monitor parece cada vez mais pequeno.
Passados dois anos ...
E ainda bem que não o troquei ainda por um ecrãn de plasma...
Ana Cristina

segunda-feira, setembro 18, 2006

Lista de assuntos pendentes...

  • acabar um presente para um amiga
  • enviar um presente surpreza
  • fazer um monte de carteirinhas, todas diferentes, todas iguais
  • fazer umas peças da linha bijuteria Oficinas RANHA
  • assentar ideias em relação à reciclagem das latas
  • decidir em relação ao quarto do afilhado
  • fazer um desenho para uma tela (está na cabeça)
  • actualizar a loja virtual
  • fazer um post sobre os Primvs Viana
Ana Cristina

sexta-feira, setembro 15, 2006

Reciclagem

Aprendi o modelo num programa de televisão. A experiência foi adiada por uns meses. Ontem terminei a minha primeira carteirinha em tetrapack.


... mas vou fazer mais. Porque ideias não faltam...
Ana Cristina

quarta-feira, setembro 13, 2006

Em GRAÇA...

E cá estamos, desde a noite de ontem, neste nosso cantinho de país, na nossa Graça, na nossa casa... com direito aos chinelos de meter o dedo que não levei, ao nosso rico cafézinho, que pode sair queimado na maioria dos sítios, mas é o melhor do mundo...
À partida dos locais tão distantes por onde andámos, apercebi-me mais uma vez que a realidade da minha vida mudou e que agora o regresso a casa já não é vivido com nenhum sinal de pena por ter cessado uma viagem a outras paragens... porque, a acompanhar as saudades dos cantos e ritos que são muito nossos, juntamos a outra, a imensurável saudade dos bracinhos pequeninos que aqui ficaram à nossa espera...
Rita

Amanhã, já de partida novamente, desta feita para um Alentejo que se quer mais quentinho e com mais praia do que o dia de hoje, que nos fez quase sentir falta da Polónia... Ficam as fotografias ou as constatações teóricas das férias distantes para mais tarde. Agora, é só Alice!

domingo, setembro 10, 2006

De longe... - Parte II

O que pode concluir ate agora em Cracovia?!
Que as pousadas tem internet gratuita mas nao tem quartos de casal com casa de banho... Que nunca se deve vir para uma cidade tao turistica sem quarto reservado... Que o panico ao nao encontrar um hotel ou pousada com quartos disponiveis na primeira meia hora da direito a dormir em espeluncas...
Mas tambem que a Cracovia e um sitio lindo, cheio de vida e coisas bonitas para visitar... E que as ferias aqui sao aconselhadas, mesmo que se seja obrigado a marcar um quarto de quatro camas para um casal e a tomar banho em casas de banho no corredor...
Rita

Para quem nao tenha percebido, eu estou a gostar das minhas ferias!!! (Mas continuo a nao conseguir habituar-me a escrever sem acentos... enfim, parentesis tem...)

sábado, setembro 09, 2006

Um colar azul e amarelo


Uma peça da Linha Bijuteria Oficinas RANHA. Mais um colar feito com uma almofada de tecido pintado, bordado e com aplicações de missangas, integralmente feito à mão.
Peça unica!!!
Ana Cristina

quinta-feira, setembro 07, 2006

De longe...

Daqui, deste pais com uma lingua que nao se consegue compreender rigorosamente nada e sem acentos nos teclados, escrevo a todos: familia, amigos e hostes clientes deste blog... (So queria ver a surpresa da minha irma quando vir este post!)...
A Polonia, ate agora, revelou-se uma excelente surpresa para quem quase nao tinha expectativas... Varsovia foi tao andarilhada que ao terceiro dia os pes ja nao querem ouvir falar em ser presos nos tenis (meus ricos chinelinhos). Partimos para Cracovia amanha, de comboio intercidades e sem quarto reservado, a aventura!
Beijinhos para todos e ate a proxima!

Rita

Aventura mesmo e ler isto sem acentuacao nenhuma... e sem ces cedilhados tambem!

De longe...

Daqui, deste pais com uma lingua que nao se consegue compreender rigorosamente nada e sem acentos nos teclados, escrevo a todos: familia, amigos e hostes clientes deste blog... (So queria ver a surpresa da minha irma quando vir este post!)...
A Polonia, ate agora, revelou-se uma excelente surpresa para quem quase nao tinha expectativas... Varsovia foi tao andarilhada que ao terceiro dia os pes ja nao querem ouvir falar em ser presos nos tenis (meus ricos chinelinhos). Partimos para Cracovia amanha, de comboio intercidades e sem quarto reservado, a aventura!
Beijinhos para todos e ate a proxima!

Rita

Aventura mesmo e ler isto sem acentuacao nenhuma... e sem ces cedilhados tambem!

quarta-feira, setembro 06, 2006

A parede ficou pronta !

Ontem concluímos a parede que andavamos a pintar para a Rita-pequena, irmã do nosso afilhado. Ficou tão bonita (sem qualquer ponta de modéstia) que nem eu me importava de dormir num quarto desses. Colorido, cheio de vida e alegria como a menina que o vai habitar.
E já recebemos um pedido; um dragão a deitar fogo, um comboio, um Noddi e um Ruca, vindo pessoalmente do Hugo (o nosso afilhado).
... E agora, como é que descalçamos a bota??
Todos os passos desta obra podem ser vistos aqui.
Ana Cristina

terça-feira, setembro 05, 2006

Uns dias cansativos...

Um fim-de-semana com muita gente, numa festa que é sempre um sucesso. Segunda-feira com o descanso, as malas para ir de férias e a terceira jornada de trabalho no quarto da Rita-pequena. Hoje com a ida da Rita para uns dias de férias e eu a terminar a parede. Em resumo, amanhã, dia de trabalho, mas o que era bom era mesmo um dia de descanço destes dias bem vividos.
Entretanto, coube-me ser portadora desta curta mensagem, ditada por telemóvel a caminho do Aeroporto de Lisboa.
" - Leitores assíduos (ou não) deixo este espaço na blogosfera apenas entregue à minha irmã (que prometeu mante-lo como se fosse só dela) visto eu me encontrar de abalada para terras distantes. Volto para a semana, por um curto periodo, porque as férias são de três semanas. Merecidas e para serem bem aproveitadas. Até prá semana. Rita"
Amanhã mostro a parede já prontinha.
Ana Cristina

quinta-feira, agosto 31, 2006

Até segunda ...


É com muito prazer que vos informamos que começa amanhã a FESTA !!! E que nos despedimos, com um até segunda, porque o fim-de-semana vai ser dos bons (como todos os anos) com muita gente, muita alegria e boa disposição.
E esperamos encontrar-vos por lá...
Ana Cristina, Rita e Alice (vai ser a sua estreia)

quarta-feira, agosto 30, 2006


Enquanto um trabalho aguarda envernizamento do chão e as próximas folgas, ou seja, a semana que vem, mostro hoje um trabalho acabado de concluir.

Um conjunto de bijuteria composto por um colar e um anel para serem usados por mim, porque os fiz a pensar que ia ficar com eles e porque eu e a Rita chegamos à conclusão que afinal temos poucas peças de criação nossa apesar de gostarmos de tudo. É que, por hábito, fazemos algo a pensar em alguém, para oferecer ou por encomenda. As peças que não se destinam para ninguém em especial mas para toda a gente, são sempre feitas ao nosso gosto, mas não necessariamente para nós. Agora sim, tanto o conjunto vermelho e preto, como o azul são para a Rita e para mim. Mas já temos mais em fase de laboração.

Entretanto um beijinho para todas as nossas visitas, em especial para a nossa visita nº 5000, que ainda não recebeu o nosso presentinho, mas está quase.
Ana Cristina

domingo, agosto 27, 2006

Uma parede


Uma das amigas que mais tem incentivado estas Oficinas, a nossa querida comadrinha, vai mudar de casa e lançou-nos um desafio: uma parede. A parede da cama do quarto da chavala, a irmã do nosso afilhado lindo.
Uma parede todinha para nós!!!
Em resumo, muitas horas de um fim de semana passadas às voltas a olhar para uma parede cada vez menos branca... e ainda por terminar...
Deixamos o início já "postado" e mais instantes da intensa obra aqui.


Oficinas RANHA

sexta-feira, agosto 25, 2006

Um conjunto completo...

... em vermelho e preto. Peças únicas, feitas em tecido, pintadas e bordadas à mão.
Os primeiros anel e brinco da Linha Bijuteria Oficinas RANHA, e um colar que completa o conjunto. Já têm dona, a Rita. Mas há outras peças para ser mostradas em breve.
Ana Cristina

quinta-feira, agosto 24, 2006

A não esquecer...

Hoje, em pesquisa sobre aquele que irá ser o próximo destino de férias do par desta casa, descobri esta história fascinante... um misto de horror e tristeza com um brilhozinho de esperança... Deixem-se levar como eu e a Cristina, leiam agora, imprimam para ler mais tarde, mas não percam, não esqueçam... e não deixem nunca ninguém esquecer...

Rita
Novidades amanhã!!!!

sábado, agosto 19, 2006

Parabéns

Faz pouco mais de um ano eu estava no corredor do serviço de partos de Santa Maria, deitada numa maca, a segurar a minha pequena Alice nos braços. Ainda hoje me comovo de pensar... apesar de ser de lágrima fácil, muito poucas vezes chorei de completa felicidade... o momento em que vi a Alice pela primeira vez foi um deles... e o momento em que vi os meus pais no dia a seguir e o momento em que abracei o meu sogro e o momento do registo... ainda hoje, a cada momento em que paro para pensar no assunto...
Sou mãe há um ano e duas horas e, como diz a minha irmã, se a um filho tanto faz o dia em que nasce, uma mãe é a verdadeira trabalhadora desse dia... Por essa razão, parabéns à minha filha e parabéns a mim. Custou um niquito mas valeu...valeu tudo.

Rita

sexta-feira, agosto 18, 2006

De rir...

Ahahahahahahah! Eheheheheheheh! Ihihihihihihihi! Ohohohohohoho! Uhuhuhuhuhuhuhuh!
Rir em todas as vogais do alfabeto foi o que hoje, depois de trabalhar um pouco mais do que 12 horas, me apeteceu fazer quando cheguei a casa e vi no telejornal a nova decisão do Governo de limitar as horas extraordinárias dos funcionários públicos... A esta hora, a minha boca de "trabalhadora do Estado" ainda gargalha com a novidade, os meus olhos ainda choram e a minha barriga ainda dói... irei conseguir dormir com o resultado daquela que foi a melhor piada que ouvi nos últimos tempos...?!

Rita

E eu fui a 4983...

quinta-feira, agosto 17, 2006

5000

Nós bem sabemos que a nossa assiduidade não tem sido muita... há desafios por responder, projectos por concretizar e encomendas por terminar... mas também há problemas, pouca vontade e, porque não dizê-lo, poucos comentários a motivar-nos... Sim, a culpa é vossa, o que pensam...?! Não nos digam que têm mais do que fazer, praia ou campo quem sabe... de férias, não é, seus desgraçados...!!!!!
Mas, como somos umas verdadeiras "mãos largas", decidimos incentivar os nossos leitores a lutar arduamente pelo magnífico lugar de 5000º visitante... porque esse ganhará uma extraordinária oferta Oficinas Ranha(e podem escolher se a querem grátis ou à borla!)... Esperamos um comentário com a devida identificação, opinião (sincera!) sobre o trabalho que se vai fazendo por aqui e - a cereja no topo do bolo - o ordinal 5000 escrito por extenso, eheheheh! Não digam que não é um desafio...!
Da nossa parte, prometemos blogar com mais afinco...
Oficinas Ranha

quarta-feira, agosto 16, 2006

Esta semana...

... espero poder voltar à blogosfera com toda a força. É que com a mudança da net fiquei sem acesso durante estes últimos dias e vim aqui muito rápidamente, ao mesmo tempo que a conta do telefone cresce a olhos vistos...
Até à próxima, para lançar o desafio comemorativo da visita nº 5000.
Ana Cristina

segunda-feira, agosto 07, 2006

Afinidades

Ao fim de semana, depois dela beber o seu leitinho de manhã, guardamos um tempo para a "namorarmos". Trazemo-la para a nossa cama e começam longos minutos de brincadeiras, escaladas nos corpos dos pais, correrias e risadas.
Deparámo-nos há semanas com gestos novos: toda divertida, a Alice deitava a cabeça e espichava o rabiosque para em seguida se deitar de barriga para cima e braços abertos e rebolar para a posição de bruços e assim adiante... Não conseguíamos perceber onde é que ela tinha visto aquilo...
Depois de umas desconfianças, descobri. No chão do quarto dela, as duas roçaram-se uma na outra, uma a espichar rabinho para imitar a que espichava a cauda à procura das minhas festas, uma a rebolar para a que se deitava de barriga para cima a provocar os meus mimos.
Alice e Fera, Fera e Alice, miúda e gata, filha bicho e filha menina. Afinidades. Família.
Rita

quinta-feira, agosto 03, 2006

Flores para a Micas


Dá muito gozo fazer uma camisola a pensar especialmente em alguém, pensar com carinho na cor que mais se apropria à pessoa e num desenho que ela usará no corpo mas que se destina mesmo é a fazer com que ela ande na rua de sorriso em punho e se sinta como é: única. Quando essa pessoa é uma grande amiga, melhor ainda.
Esta camisola começou a ser pensada e projectada, mais ou menos assim, há dois anos, para a Micas. Por motivos vários foi-se deixando passar os aniversários e Natais e, finalmente este ano, com um prazer que não é fácil descrever por ver este especial trabalho terminado, conseguiu-se oferecer-lho. E o resultado está, na minha opinião, a condizer perfeitamente com a amiga: maravilhoso.
Rita
ver mais fotografias de pormenor aqui e aqui

segunda-feira, julho 31, 2006

Os primeiros


Apresentam-se os primeiros sapatos "à séria" da Alice.
Há uns meses que anda descalça porque, enquanto não partia para os seus primeiros passos, achámos que o melhor calçado que poderia usar era mesmo o "au naturell". Mas desde que está a deixar de ser um aranhiço para se tornar num andarilho, ou melhor, desde que se gerou a dúvida que o formato andante pudesse não estar a colocar o pé no chão da forma correcta, começámos a procurar o ideal. O que fosse feito para os pés com cabeça, ou seja, o que permitisse a aquisição da marcha sem prejuízos para a formação da coluna.
Algumas pesquisas na net e teorias sobre arcos plantares, reforços de tornozelo, solas flexíveis depois, começámos a procurar... e nada, todos os números 19 (o apurado) esgotadíssimos, teríamos que esperar pela próxima estação... já estávamos a ver a rapariga a passar o Verão de botas... Mas todos os cachopos decidiram calçar o 19?!
Enfim, quando nos dávamos quase por vencidos, encontrámos estes, que nos agradaram em qualidade e estética. E ela adaptou-se até bastante bem, ao que parece. Tanto que os usa parcialmente há dois dias e eles já parecem levar uns meses de avanço...
Rita

sexta-feira, julho 28, 2006

Para o Tiago

Ouvimos dizer que ficou tão animado que andou o resto do dia com o quadro na mão, que o mostrou logo a quem foi lá a casa e que se identificou logo com o menino que lhe fizemos. Não admira, o menino da tela tem cabelo encaracolado, veste de vermelho e está a tocar bateria, como uma que ele tem lá no quarto...
Ficámos contentes, "se ele gostou é porque cumprimos com o objectivo" - pensámos. Mas não esquecer a crítica: "Coitado do menino, aquela coisa (o prato) está tão acima que ele não vai conseguir tocar".
Queriamos críticas sinceras, não era? ...
Beijinhos para o Tiago.
Ana Cristina

Também podemos ver este menino aqui.

segunda-feira, julho 24, 2006

Hoje

Terceiro grito do Ipiranga da Alice. O que é o mesmo que dizer: terceira noite a dormir na casa dos avós.
Nós: "Eu, tu e todos os que conhecemos". Há muito que um filme não me enchia tanto as medidas... gosto de filmes sobre as bizarrias que todos tempos (uns mais do que outros). E fica a imagem do homem a pendurar na árvore o quadro da fotografia do passarinho, com a mulher nas costas dele, cara encostada entre as suas omoplatas, mãos a entrelaçar as suas mãos...
Como é que é mesmo a palavra que os pseudo-entendidos costumam usar?! Sublime...
Rita

sábado, julho 22, 2006

Feita de encomenda



A P. esteve grávida de uma Beatriz quando eu estive da Alice.
Como minha conhecida e amiga de minha grande amiga, fui acompanhando à distância as histórias deste período, do parto e da evolução até agora, ao seu primeiro ano. E, quando a minha grande amiga se lembrou de nos encomendar este trabalho («o quarto é verde e rosa; a P. gosta muito de lhe escolher coisas com flores; o cabelo e os olhos já são castanhos e os pais têm os dois os cabelos lisos»), parece que ainda mais gozo deu em planeá-lo, para esta Beatriz que ainda só conheço de nome.
Rita

sexta-feira, julho 21, 2006

O post de ontem...

... hoje com fotografia.

A Rita ontem fez um post no qual não conseguiu colocar uma fotografia. Hoje consegui publicar essa fotografia, mas noutro post. Por isso esta pequena finta ao Blogger, que demonstra ser de luas...
Ana Cristina

Surpresas na volta do correio

Ontem, à chegada a casa com a Alice, encontrei, de uma forma um tanto ou quanto sui generis , a prenda pela qual aguardava ansiosamente. Entalado no puxador da porta de entrada (sim, pronto para alguém que não nós levar para sua casa) o carteiro tinha-me deixado um envelope grande. E lá dentro... duas gravuras da Rute Reimão, envolvidas em invólucros de cartolina colorida!!!


A Rute desenha maravilhosamente... fá-lo muitas vezes em papel de toalha de mesa de restaurante e as suas gravuras fazem lembrar uma viagem deliciosa pelo mundo dos sonhos ou o dia a dia de quem tem crianças... Habituadas a namorar o trabalho desta magnífica artista, quando ela anunciou a sua disponibilidade, eu e a Cristina não perdemos tempo. Para o quarto da Alice veio uma lua a ser abraçada por uns lindos cabelos amarelos e para casa da tia da Alice foi uma menina que não gosta de sopa... a fazer lembrar tempos idos de horas passadas à mesa sem comer...

Como se não bastasse a delícia dos desenhos, a Rute simpaticamente juntou-lhes um "cartãozinho de plástico" que vai directamente para a minha colecção de marcadores e dois livrinhos para a minha rapariga pequena: "O Piolho" e, lindeza das lindezas, "Carlota e a Revolução dos Cravos". As histórias têm a participação da Reimão, claro está. E Rute, podes ter a certeza que, principalmente o segundo, irá ser lido e relido, para que a minha filha saiba o que eu nunca vivi mas souberam muito bem transmitir-me! Obrigada, obrigada, obrigada.
Ficam prometidas fotografias das gravuras emolduradas e próximas encomendas, desta feita para o resto da casa, que também tem direito.
Rita
O trabalho da Rute Reimão pode ser visto
aqui e aqui.

Mais uma vez...

.... não consigo pôr uma fotografia num post, adiando a sua colagem para o dia seguinte, à espera que tudo funcione como deve de ser. E cá fico, com a mesma raiva e a mesma cara de palerma de quem não percebe patavina do motivo... Isto dá um desânimo...
Rita

segunda-feira, julho 17, 2006

Novidades

Porque prometi que trazia novos trabalhos, e que a ausência era só uma fase, mostro uns sapatinhos que receberem muita cor. Em branco não combinavam com a sua futura dona.
Agora sim, coloridos e bem dispostos seguiram para a Rita, que tem dois anos e meio e adora flores, roupas coloridas e saltar muito.
Espero que ela goste tanto deles como nós, que já estamos a pensar em numeros tipo 36-37.
Para os ver melhor, clique aqui, aqui e aqui.
Ana Cristina