terça-feira, julho 28, 2009

Desabafo

Acabei há pouco de ver um episódio do "C.S.I. Nova Iorque", onde uma exímia funcionária que tinha parido uma criança há pouco tempo (na verdade, foi só no episódio passado, tanto quanto me recordo, mas a semana decorrida é apenas simbólica), estava toda contente a ajudar no laboratório, no caso a resolver, enquanto o chefe sorria placidamente e lhe dizia que ela devia estar em casa.
Gostava de saber onde os argumentistas arranjam estas mães, em pulgas por voltar a trabalhar ainda durante a licença de maternidade... e principalmente estes chefes, tão simpáticos e complacentes...
Rita

segunda-feira, julho 27, 2009

Saudades

Desta vez foram os avós paternos que sugeriram levá-la uns dias com eles, de férias. Ainda trabalham e as oportunidades são muito menos. Ela foi, só há umas horas, toda contente. Tão contente que quase se esquecia de se despedir de mim, embora depois me garantisse que depois ligavam «muitas, muitas, muitas vezes».
A minha filha vai por vezes de férias com os avós. Uns dias, uma semana, habitualmente não mais. Eu gosto que ela vá, faz-lhe bem. A ela, a nós, aos que a levam. O que verdadeiramente me custa é o momento da partida e o tempo a seguir. Depois, aos poucos, sabe bem a sua curta ausência e a recuperação das despreocupações de quando éramos os dois ou ela era pequenina. Portanto, sei que amanhã vou estar melhor. Mas agora... agora estou a ressacar de saudades da minha miúda...
Rita

quinta-feira, julho 23, 2009

Data e informação a não esquecer

Anteontem a Alice chegou a casa a conseguir dizer os "res" do meio das palavras. Ainda é difícil dizer "Margarida", "frigorífico", "obrigado" e outras que tais, mas a prima Sara, nestas férias, já será uma feliz contemplada com o nome correcto!
Rita

quarta-feira, julho 22, 2009

As minhas amigas são o máximo

E se de repente tocarem à porta a meio da manhã e um senhor nos entregar uma caixa toda elegante, branca e com um laço vermelho, e depois já dentro de casa abrirmos e descobrirmos três rosas também vermelhas, lindas de morrer, e um envelope com...


... isso é...
Ter as melhores amigas do mundo...!
Obrigada, V. e M..

Rita

terça-feira, julho 21, 2009

O Jardim Zoológico


Nestas férias - e por férias entende-se a interrupção lectiva da Alice, que não significa que a escola esteja fechada mas sim que deixa de existir o trabalho e as actividades de sala habituais - fomos ao Jardim Zoológico de Lisboa. Aproveitámos e levámos também uma amiguinha... e os avós maternos que não queriam deixar de acompanhar esta primeira incursão da neta àquele mundo... e já agora a tia, que até conseguiu entrar um pouco mais tarde.
Para quem, como eu, que não ia lá há tantos anos (e da última vez já havia o teleférico e os golfinhos), o ZOO foi uma agradável surpresa. O elefante já não toca o sino em troca de uma moeda, os gorilas já não estão em salas de cinco metros quadrados com parede de vidro, os macacos já não nos ligam o suficiente para nos atirarem com as suas fezes, o tigre já não vai e volta ao longo das grades de uma jaula pequena demais para ele.
O Jardim tem agora novos espaços, maiores, bem elaborados e que podem até dar a ilusão de liberdade. Os primatas aparentam conviver entre si, a céu aberto, sem jaulas, num território de alguma dimensão e com estruturas bonitas em madeira e cordas para brincarem. Os tigres (são vários, agora), têm uma "casa" grande só para eles, mas que nós podemos atravessar e espreitar bem de perto.
As condições não são, obviamente, perfeitas, mas incontestavelmente superiores ao que eram e tentando ir de encontro a um conceito de maior respeito para com os animais que só ali temos hipóteses de ver e mostrar.
Fica a ideia de um dia bem passado (a Alice adorou!) e o conselho (que aproveita uma crítica) de procurarem na net primeiro se podem usufruir de algum desconto, uma vez que o preço é caro e não existe nenhuma informação na bilheteira sobre os vários protocolos e deduções (ex.: o Cartão Lisboa Viva, Cartão Fnac, Clubes "Olá", "Rik&Rok", etc.). Convem por isso levar a informação e um planeamento prévio do dia.

Rita

segunda-feira, julho 20, 2009

Tantas vezes em que não tenho tempo, ou vontade, ou capacidade física...
Nem acredito que hoje não tenho nada para dizer...
Boa semana.
Rita

sexta-feira, julho 17, 2009

Novamente a três, mas ao contrário

A Alice está fora por uns dias, no Alentejo com os avós.
E nós ficamos a três, mas desta vez ao contrário, para dar a fingida oportunidade ao Vasco de, por pouco tempo, ser também filho único.
Mais uma vez constato como é bom descansarmos uns dos outros, por vezes. E como é bom sermos quatro, mas também os três que éramos, os dois que já fomos, estes novos três que podemos ser de vez em quando. E misturar e reciclar e trocar voltas e reviravoltas... como numa dança...
Rita

quarta-feira, julho 15, 2009

Pintalgada como uma estrela de cinema

Era uma vez duas irmãs que combinam uma tarde de compras juntas, e uma delas sugere à outra, a que leva um pirralho de três meses e meio e detesta perfumarias por causa do cheiro intenso, que entrem num desses antros só para ver uma coisa, e começam as duas, que não percebem rigorosamente nada de maquilhagem, a questionar-se sobre se determinada base é mais da cor do pescoço do que outra, e aparece a lojista e elas põem uma dúvida e a dita leva-as a uma maquilhadora e então esta última, de pele branca linda e olhos pintados magnificamente com muito azul, agarra na irmã que foi mãe há pouco tempo e começa a experimentar-lhe uma série de produtos e as duas irmãs entram num mundo de bases e pós solares e ilumidadores de olhos e "disfarçadores" de olheiras e blushes e sombras e máscaras (porque rímel é uma marca e não o nome do produto) e glosses, para depois olharem a desta-feita-maquilhada-irmã e descobrirem que ela está mesmo giraça e parece uma estrela de cinema e não fica mais velha e sim sofisticada, e tudo isto para depois a irmã que foi mãe e agora está toda maquilhada e verdadeiramente gira dizer à menina de pele branca linda para lhe escrever num papel os nomes e referências dos produtos todos e descobrir que se quisesse manter aquele aspecto todos os dias teria de gastar quase 200 euros. Mas pronto, pelo menos chegou a casa a parecer uma estrela...

Rita
(para não nos esquecermos daqueles momentos, minha querida irmã)

segunda-feira, julho 13, 2009

Comparações


Têm os pés iguais.
E, de acordo com as minhas notas, dobraram os dois o riso aos três meses e meio. Os dois com brincadeiras da tia.

Rita

terça-feira, julho 07, 2009

A tarde de hoje

Agarrámos em nós, na avó e nos sacos de papel com os restos de pão duro que cá haviam, e rumámos até à Gulbenkian para acabar de convalescer a Alice e a indisposição que lhe deu uma febrita e uns vómitos nos dias anteriores.
A Gulbenkian traz-me boas recordações e é um local onde me sinto bem. Ela também gosta. Os patos e pássaros que por lá andam têm uma desfaçatez tal que só saltam uns ligeiros metros quando os miúdos os tentam fazer voar. Chegam a comer da nossa mão estendida. Ela partilhou o pão que levava com três irmãs e imitou-as nas suas brincadeiras. Conversámos ainda sobre quem tinha sido o Calouste Gulbenkian, experimentámos os toldos e almofadas que por lá andavam e tentámos as duas cafetarias, que, para quem queria saber com antecedência e poupar a travessia de todo o jardim, fecham precisamente à mesma hora, às 17H30.
O Vasco também gostou dos degraus, que lhe permitiram uma boa e tremida soneca.
Foram bons momentos, embora que curtos.
A raivinha ficou para o parque de estacionamento Berna que tem um elevador que não leva as pessoas até à superfície. Claro. Porque os cidadãos com deficiência ou necessidade especial de locomoção deste país, bem como os pais com carrinhos de bebé, só precisam de viajar por entre os vários andares do parque, não precisam de subir ou descer os três lances de degraus até à rua...
Rita

segunda-feira, julho 06, 2009

Brincadeiras

Receita para momentos de divertimento:
Juntar uma menina com quase quatro anos (mas pode ser menos, cá em casa já se fez antes e resultou), dois gatos (idem aspas aspas o parêntesis anterior) e um novelo de lã com um saco de plástico atado na ponta. Mexer tudo, temperar com uma boa dose de energia e servir.
Rita

domingo, julho 05, 2009

As duas

As duas primas, este fim-de-semana, no Festival do Panda... muitas brincadeiras, partilhas e dançaria... a minha, tenho-a cá em casa todos os dias... mas quando vejo a minha sobrinha, penso sempre no quanto já cresceu... e entretanto já há mais dois... como serão os momentos familiares daqui a uns tempos...?!
Rita

quinta-feira, julho 02, 2009