terça-feira, março 31, 2009

JÁ ESTOU CÁ FORA !!!

Nasci ontem, com 3040g de peso, e sou um rapaz muito lindo.
A minha mãe também é muito linda e manda beijinhos para toda a gente.

Vasco

sexta-feira, março 27, 2009

Em casa da tia

No domingo ela passou cá a tarde. Como sempre, assim que entrou foi directa à caixa dos seus brinquedos preferidos. Tirou quase todos os bonecos que lá estavam e lamentou a falta da Isabel, a boneca que ela pediu emprestada e ainda não devolveu. Saltou em cima da cama, cantou cantigas inventadas em frente ao espelho. E pediu para eu lhe montar a casinha, igual à que fizemos na última vez que cá esteve. Foi mais uma tarde de brincadeiras, daquelas que são feitas em casa da tia Cristina.
Não é necessário dizer que a tia Cristina adora, pois não?
Ana Cristina

terça-feira, março 24, 2009

Barrigas e manos



Acho que foi na passada sexta-feira, só no dia em que fiz as 38 semanas de gravidez, que a Alice sentiu pela primeira vez o mano na minha barriga.
A paciência dela para esperar e experimentar estar a olhar não é muita... a vontade dele se exibir também me parece pouca... Enfim, nesse dia eu descansava na poltrona e ela andava à minha volta, conversa para aqui, festas para acolá, colinhos e mimos. Quando repousou a cabeça na minha barriga, levantou-a logo a seguir, olhos muito abertos. Disse-lhe que era o mano a mexer lá dentro. Ela pousou novamente a cabeça e levantou-a outra vez. Fascinada. Queria saber porquê e expliquei-lhe que o bebé estava todo enrolado lá dentro e que, como estava cada vez maior, o espaço era pouco, tinha a necessidade de, de vez em quando, esticar um braço ou uma perna...

A relação dela com este mano e com a minha barriga tem sido engraçada. Na quinta-feira teve cá uma amiga da mesma idade e a certa altura esta perguntou se podia tocar no meu bebé. Respondi-lhe que sim, mas a Alice não achou bem. Não queria, o mano era dela, a barriga também.
Tento explicar-lhe. Que o mano não é assim uma propriedade nossa. Que quando nascer vai ser do mundo. Que o mundo vai querer pegar-lhe e fazer-lhe festas e ajudar a tratar dele. Que nós temos de deixar. Que nós também não a podemos prender em casa, que ela também é do mundo e que o mundo também é dela. Ela parece perceber melhor essa comparação. Depois, quando ficar a pensar, segredo-lhe que não se preocupe, apesar de tudo ele vai ser sempre um bocadinho mais nosso do que do mundo...

Hoje, quando a fomos buscar, levantou-me a camisola e fez-me festas na barriga. («Nasce, mano!») Depois, deixou os colegas todos tocarem e eles, de olhos e sorrisos muito fascinados, fizeram quase uma fila. Se eu acreditasse, ficava na dúvida se era eu que abençoava ou que era abençoada.
Este grande mistério que é a vida.

Rita

segunda-feira, março 23, 2009

Uma nova companhia

Desde o início do ano ando com ela no carro. Uma boneca com ar muito doido, feita pelos primvsviana. Os primvs são mesmo nossos primos e são três, sendo que a mãe e a filha já partilham a autoria de algumas peças, e outras são elaboradas pelas quatro mãos do casal, mas a grande maioria é mesmo da Lili. As peças são muito interessantes, a maioria em arame e em tecido. Algumas fotos podem vê-las aqui no flickr dela.

Ana Cristina

quinta-feira, março 19, 2009

Olá, cá estou eu...

Gosto deste canto que é nosso.
E nos últimos tempos não tenho sido assídua como gostaria, não porque não tenha assunto para partilhar, não porque o rapazola já tenha nascido e nos ocupe o tempo todo, mas porque são muitos os dias em que trago trabalho para casa para acabar e não deixar para ninguém e porque são muitas as noites em que adormeço imediatamente a seguir ao jantar, no sofá, às vezes para cima do próprio computador...
Há também a questão da máquina fotográfica, cujas fotografias eu não consigo diminuir a qualidade para que possam caber aqui. A máquina "velha" foi a emprestar à Cristina - que pelos vistos também não a tem usado - e esta deve ser demasiado boa, eheheh...
Entretanto, fica o desejo que estejam todos bem. Os que nos visitam e não comentam, os que nos visitam e comentam e nos deixam com a sensação que são velhos conhecidos, os que habitualmente visito e comento mas sem andar a fazê-lo nos últimos tempos, os meros passantes ocasionais.
A ver se volto mais assiduamente para deixar registo dos últimos dias desta minha gravidez (que amanhã perfaz 38 semanas).
Rita

quarta-feira, março 18, 2009

A tese voltou novamente aos meus dias.

Nesta fase tem sido toda a revisão, e quem sabe reestruturação, do que está escrito com direito a mais umas pesquisas pelo meio para ir melhorando o enquadramento teórico.
Mas os dados têm de começar a ser tratados dando aos números uma enorme importância e vejo-me assustada com uma teoria que não conheço e com um programa informático que é um mistério (ainda nem sequer percebi como se constrói a tabela de dados). A estatística parece-me uma linguagem quase incompreensível, tipo uma língua estrangeira como, sei lá… o criolo, onde consigo identificar umas palavras, e até uma ideia mas não faço ideia de como se usam. E eu, que nunca fui muito de me assustar com conceitos matemáticos estou a “empanicar” .
Ana Cristina

sexta-feira, março 13, 2009

A prova? Faço-a já aqui em baixo...

Fotos tiradas pela Inês e gentilmente oferecida para publicar aqui.
Que estive lá. De manhã em frente ao Ministério da Saúde, de tarde a descer a Av. da Liberdade. Manifestei-me por todos os trabalhadores que estão em situação precária, a perder os seus direitos, a ver diminuir o seu poder de compra, ou que se sentem injustiçados (como nós, enfermeiros), por todos. Até pelos que infelizmente ficaram em casa.
Outras fotos aqui, aqui e aqui, todas tiradas pela Inês.
Ana Cristina

quinta-feira, março 12, 2009

Esta tarde foi de trabalho...

... mas ao sol, na esplanada. Estive com uma amiga a preparar um trabalho, o que com bom tempo é sempre muito melhor.
Amanhã vou para a minha jornada de luta. Concentração em frente ao Ministério da Saúde, na luta por um justo estatuto do enfermeiro, que corresponda tanto às responsabilidades exigidas como às habilitações literárias necessárias para o exercício profissional.
Estas duas folgas, correspondem ao meu fim-de-semana. Por isso, um bom domingo para todas as nossas visitas.
Ana Cristina

quarta-feira, março 11, 2009

O que fazer...?

Agora está toda contente, a saltitar de um lado para o outro da casa, mas há umas horas, chorava no carro, vinda da escola. Era por causa de tudo. A boneca, que vinha sem uma perna, a amiga R, para casa de quem queria ir, os desenhos animados na televisão, que dissemos que não iria ver porque já tinha visto muitos nos outros dias. No meio de tudo aquilo, uma queixa: o Cristiano, que lhe tinha apertado o pescoço e a garganta, e que a tinha mandado para o chão porque queria jogar à bola no sítio onde ela estava.
A expressão dela era tão inconsolável e o cenário que imaginei tão violento, que quase fiquei com vontade de chorar também. Não gosto quando chega a casa a dizer que este menino ou aquele lhe bateu ou a empurrou ou se zangou com ela. Mas habitualmente sei quem são, imagino o quadro e explico-lhe que tem de se entender com os amigos sem bater. Que devem conversar, que ela deve fazê-los entender que não gostou do acto e que não é assim que as pessoas se entendem.
Hoje não consegui. Apertar o pescoço e atirar alguém para o chão não é atitude que se perdoe ou que se resolva da mesma forma pacífica que aconselhamos sempre. Desta vez dissemos-lhe que tinha de se defender e que, se fosse preciso, numa ocasião como essas, tinha de se defender batendo. É triste, mas não conseguimos pensar em outra forma. O que fazer em alternativa...?
Rita

domingo, março 08, 2009

Reis diferentes...

A Alice no outro dia, a passar a ponte com os avós, sobre o Cristo Rei:
- Que Rei é este que não tem coroa...?!
Rita

quinta-feira, março 05, 2009

Cuidar o bebé...

No ano passado elaborámos uma proposta de formação e concorremos com ela a um apoio por parte desta instituição, que além de outras funções também se dedica à formação pública no âmbito da saúde e que, em conjunto com estes parceiros dão credito a estes pequenos projectos de educação para a saúde. Adorámos a experiência que correu muito bem e este ano vamos voltar a abraçar esta iniciativa.
No próximo dia 21 de Março seremos novamente formadoras do "Curso Cuidar o Bebé no 1º Ano de Vida", que se destina a todas as pessoas que cuidem de crianças nesta idade e que pretendam ter noções teóricas básicas das suas diferentes etapas de desenvolvimento, e que lhe permitam contribuir para um desenvolvimento saudável e harmonioso.
O programa pode ser consultado aqui, aqui e as inscrições são feitas através do mesmo site. E já agora, se puderem divulguem ...
Ana Cristina