quarta-feira, janeiro 28, 2009

Ontem

Há dias que correm mal.
Dias em que não precisamos de ajuda para transformarmos as nossas horas, minutos e segundos em pequenos infernos.
Dias em que teimamos e exigimos e levantamos a voz e choramos e fazemos chorar e nos esquecemos de ceder e de como se cede e nos achamos horrorosas mas não conseguimos mudar o registo e evitar sê-lo.
Dias em que percebemos quando nos dizem calmamente que temos 33 anos e elas 3, mas só queremos um abraço e que nos digam mesmo é que faremos melhor no dia seguinte.
Há dias em que nos deitamos de lágrimas nos olhos e a achar que nos portámos mal e que fomos as piores mães do mundo.
Hoje será diferente.
Rita

6 comentários:

Oficina das Linhas disse...

Olá Rita!

Li e revi-me em alguns dos meus dias, também... E também por vezes a almofada adormece molhada, por culpa do não desculpar, do não fazer vista grossa, do exigir demasiado... Durmo e obrigo-me a mudar, até vir uma bateria de asneiras que me põem na corda bamba... mas que também não acontecem tantas vezes quanto isso...

Mas depois passa e vêem os dias em que tudo é cor de rosa, e a mãe é a melhor que há, nem ele queria trocar por mais nenhuma...

Devido à minha tiróide que me dá que fazer, quando ando mais irritada, volto costas e deixo o marido a tomar conta da situação, pois nessas alturas, uma coisa pequenina incomoda-me cá por dentro que ninguém imagina... Depois já ouvi da boca do Tomás "Ó mãe, achas que havia necessidade de falares assim comigo?" Bom, só te digo que foi a maior chapada sem mão que já me deram, imagina como foi a noite nesse dia... Desde então faço um esforço, e maldigo a danada da glândula que dá comigo em maluca... às vezes...

Ah, em relação à tua pergunta, claro que sim, se precisares de alguma coisa, é só dizeres!

Beijinhos,
Carmen

pimenta rosa disse...

há dias mais difíceis.
mas nunca serás a pior mãe do mundo, poderás ser a mãe-confusa-do-dia, a mãe-com-menos-pachorra-da-semana, mas nunca a pior, isso não existe*****
beijos

Joana disse...

Os dias maus servem mesmo para nos mostrar como são bons os outros dias. Há dias assim... também há dias mais ou menos... Depois há os dias bons. Esperamos por esses. Bjs

Oficinas RANHA disse...

Rita,mana quirda... às vezes necessitamos é de paciência para nós próprias, não é??
Vais ver que agora, depois da reflexão, tudo vai correr bem melhor. E tu, que sempre foste uma mãe tão ponderada, vais voltar a ter a clareza de pensamento que adquiriste com a idade.
Abracinho

Anónimo disse...

pronto e lá volto eu a rir-me outra vez porque pareces o meu espelho: às vezes fico doida, farto-me de ralhar com as duas pestinhas que lá tenho e há dias em que a minha casa parece um verdadeiro manicómio: gritos pra um lado, berros e choros do outro....enfim !!! Mas depois tudo passa com um ABRAÇO e uma vozinha a dizer: mãe faz lá um sorrisso. Tens um sorriso tao lindoooo. è o sorriso mais lindo do mundo.
Bj
D

Rutinha disse...

rita, nao sei se ajuda, mas numa destas noites-madrugrada a mudar a fralda (o pirralho chora desamaldamente qdo se lhe muda a fralda), dou com o marido a levantar-se e dar-me um chega para lá q eu trato do assunto.
Só no outro dia me explicou que eu estava ao berros com o miudo...fiquei p morrer, sabia q me estava a faltar a paciencia e q andava cansada mas gritar com o meu bebe?juro q nao dei conta...passei o resto do dia a chorar, pois claro. mas sei que a noite seguir ia correr melhor e assim foi.
bjnho grande!e acredita que para a alice és a melhor mae do mundo!
ps - alem de tudo, estas gravida e isso tb nos altera muuuito verdade?