quinta-feira, outubro 13, 2011

Cantorias

A caminho dos dois anos e sete meses, o Vasco começou agora a cantar.

Reparámos de repente. Eu nem sei bem como, acho que foi de manhã, quando nos arranjávamos e o ouvi trautear alguma coisa. O João disse que o tinha apanhado, dias antes, com a caixa dos livrinhos pequeninos de animais, a cantar canções, precisamente sobre animais.

Agora, se puxarmos por ele, canta quase todos os dias. O «Atirei o pau ao gato», o «Papagaio Louro», o «Parabéns» (hoje cantado ao telefone, finalmente pelos quatro, para a Vera, que completa o seu primeiro aniversário)... Hoje à noite, na altura em que os deitava, cantámos pela primeira vez a «Canção dos Abraços» - um hábito de todas as noites desde há uns anos, provavelmente a cantiga que o Vasco ouviu praticamente todos os dias desde que estava na barriga - a três... limitei-me a perguntar-lhe em voz alta se cantava comigo, para o distrair da birrita que estava a querer fazer por outra coisa qualquer... depois fiquei surpreendida com o que ele já sabia da canção... é muito fixe cantar com os filhos uma música "só" nossa...

Rita

3 comentários:

Jorge Freitas Soares disse...

Eles crescem num instante..e quem canta seus males espanta.

Gostei da ternura deste post.

Jorge

Oficinas RANHA disse...

Obrigada Jorge, pelo elogio da ternura... eu acho o post um pouco mal escrito, confesso, mas ternurento deve ser, os pormenores relativamente aos nossos filhos e seu desenvolvimento, por mais pequenos que sejam, aquecem-nos sempre o coração...
Um beijinho, Rita

rutinha disse...

eu nao consigo por o meu a cantar comigo (deve ser por canto muito mal)...;)