segunda-feira, março 01, 2010

Cineminhas

Ontem fui ao cinema. Aliás, nos últimos dez dias fui ao cinema três vezes.
Do “Avatar” tenho pouco a dizer. Que vale a pena, porque dizem que será um marco no cinema pela tecnologia. A história, apesar de já não ser nova, é uma temática que será sempre importante não esquecer. Mas, no fundo no fundo, esperava muito mais.
Do “Invictus”, tenho a dizer que é um filme interessante, que nos relembra uma África do Sul num passado bem recente, mas que parece tão distante. A tomada de posse do Nelson Mandela e os primeiros passos de um país a caminho da igualdade de direitos, independentemente da cor da pele. Vale a pena ir ver, e vale a pena pensar sobre o apartheid, regime que regeu a África do Sul até à duas décadas atrás.
Mas este post é dedicado fundamentalmente ao “Tudo pode dar certo”, o último dos três filmes que fui ver. De um dos meus realizadores preferidos este filme veio lembrar os velhos tempos em também ele era o actor principal das suas obras cinematográficas. Pois é, Woody Allen voltou. Desta vez sob a forma de um outro actor que parece personificá-lo na perfeição. Mas a personagem que conhecemos como sendo o próprio Allen continua igualmente genial, egocêntrico e hipocondríaco. Numa história sem grande enredo, assistimos à defesa de uma teoria cuja mensagem é a de que a vida, tal como o amor, não são algo predefinido, sendo sim frutos do acaso. Nas nossas mãos está a capacidade de aproveitar ou não o que nos acontece, tornando o acaso em algo proveitoso. O “Tudo pode dar certo” é uma lição de vida. Parece tratar-se de uma despedida do realizador que tão bem conhecemos. Como se ele nos dissesse: “Aproveitem. Aproveitem, porque, apesar de acontecer por acaso, tudo pode dar certo.” Aconselha-se a quem deste género gostar. Eu adorei.

Ana Cristina

6 comentários:

Anónimo disse...

EU ADOREI O AVATAR
AP

Joana disse...

Tenho que ir ao cinema um dia destes... Woody Allen é sempre Woody Allen!!! Bjs Mestra!

vermelhinha disse...

Também gostei muito de "Whatever Works". Woody Allen tem a capacidade fantástica de um forma simples e sem enredos muito elaborados nos por a pensar na vida. A maior parte das vezes ficamos a pensar nela com um sorriso! :)

Aramar disse...

Ainda não vi, mas obviamente está na minha lista. Para ir ver durante a semana, preferencialmente quando estiver pouca gente a comer na sala de cinema, que isto de ver Woody Allen com alguém a triturar pipocas é desagradável :)

Oficinas RANHA disse...

Inês,
não na primeira cena...
(quando o vires vais compreender)
Ana Cristina

Arte da Luluzinha disse...

Olá Ana, eu tbém adoro filmes e minha filha é fã de cinema, se deixar ela é capaz de sair de uma sala e entrar em mais outras duas.
Eu adorei Avatar e gostei muito do Invictos, o último eu devo ver na quinta.
Outros que gostei: Speak e precious.
Beijinhos e bons filmes.