segunda-feira, novembro 03, 2008

O nosso bebé

Ontem contámos à Alice que a mãe tinha um bebé na barriga, que por isso ia ficar com a barriga grande, ia ficar gorda, que ela ia ter um mano ou uma mana e que podia fazer as perguntas que quisesse sobre isso, quando quisesse.
A parte de não podermos escolher o género não a convence totalmente, a ela que quer uma mana a todo o custo. Perguntou quem escolhia se o bebé era um mano ou uma mana, como se pudesse ir dali intimar o responsável da sua vontade.
De toda a curtíssima conversa, o que achei mais graça foi a expressão dela de alguma surpresa quando lhe disse que este bebé era nosso, de nós os três.
Não reagiu muito e, embora tivesse dado dois beijinhos na minha barriga quando uns amigos saíram cá de casa, não tornou a falar no assunto e recusou a minha proposta de contar esta novidade aos tios.
Hoje, quando subia as escadas da escola no final da tarde, uma Auxiliar disse-me que a primeira coisa que a Alice tinha feito quando chegou ao recreio tinha sido dizer-lhe: «sabes Carolina, a minha mãe tem um bebé na barriga.». Garantiu-me que ela estava muito contente e que tido contado a toda a gente, o que eu vim a verificar pela quantidade de parabéns que fui recebendo.
Quando cheguei à sala do ATL, a Alice correu para mim, deu-me um beijinho na barriga e estendeu-me metade da carcaça com manteiga dela. E acrescentou: «o bebé pode comer pão?».
Já em casa à noite, utilizou a expressão «o meu bebé na tua barriga»...
Relembro isto e sorrio, mas quase de lagriminha no canto do olho. A minha menina dá os primeiros passos no maravilhoso mundo de quem tem irmãos.
Rita

8 comentários:

Joana disse...

E é mesmo uma coisa unica de relações no mundo. Parabéns aos 4!
bjs

Sónia disse...

Está a aceitar bem!!!!!

Aproveita para ela te ajudar com as mudas de fraldas e afins, quando o bebé chegar!

pimenta rosa disse...

:)que amor :)

Anónimo disse...

E pronto!!!! mais uma vez me puseste a lágrima no canto do olho (o q não é dificil ih ih), o pior é que esta vontade de dar um mano aos dois terroristas que tenho lá em casa vem ao de cima e começa a crescer mais do que devia. Fico comovida só de pensar nos pulos de alegria daqueles dois... nas perguntas intermináveis e até nas pirraças entre os dois por causa de mais uma mano ou mana (sim pq de certeza iam este era mais um motivo para implicaram um com o outro, não fossem eles manos...) :)
Fico muito feliz por esta nova etapa da tua vida ... É tão bom ser mãe A DOBRAR!!!!
Beijos
D

Rutinha disse...

que giro rita. então quando o mano ou mana for real, a Alice vai ser uma mana super protectora ;)

Alma Minha disse...

Não sei se já te dei os PARABÉNS!
A Alice deve estar radiante!!!
Beijo

Alma Minha disse...

Não sei se já te dei os PARABÉNS!
A Alice deve estar radiante!!!
Beijo

Ana Coelho disse...

Bons dias,
De forma a pagar a tua visita passei pelo teu blog, ou vosso blog, e li o teu (vosso) texto sobre o Blindness. Contudo, não foi esse texto que me apeteceu comentar mas sim este.
Tenho 26 aninhos e ainda não passei pela experiência de ser mamã, algo que espero concretizar assim que um rol de coisas estejam definidas, principalmente no que toca à parte financeira.
Mas achei tocante, comovente e indo este post, até porque acho que as crianças são sempre super imaginativas e têm saídas geniais.
Relembro assim um sobrinho de um amigo meu, na altura com 5 anos, quando soube que a mãe estava à espera de uma mana, perguntou-lhe "Oh mãe a mana?", e alguém rapidamente respondeu "está na barriga."
Depois de uma cara desconfiada que passou rapidamente aquela cara das crianças do "não entendi" o rapaz responde irritado "Porque é que a comeste!?".
Estas situações marcam-nos para a vida!
Desejo-te muitas felicidades, e um bem haja para toda a tua família.