quinta-feira, novembro 20, 2008

Duas gravidezes


Tal como na primeira, vimos os dois o resultado do teste ao mesmo tempo, e tal como na primeira, ficámos os dois muito felizes. Tinham sido as duas muito bem planeadas, tinha havido idas ao médico e análises e eu seguia atentamente os dias no calendário. Tudo o resto foi diferente.
Desta segunda, eu soube, de alguma forma física ou instintiva, que estava grávida antes de fazer o teste. Era algo que estava relacionado com uma sensação nos ossos da anca quando fazia o movimento de me levantar da cama pela manhã. Ou a ligeira náusea a acompanhar-me pelo dia fora. Ou o sono. Ou poderia estar totalmente enganada, claro...
Desta segunda, descontraí e tive quase de me forçar a ir ao médico pela primeira vez pouco tempo antes das 12 semanas. Contámos mais cedo a toda a gente, não comecei a tomar logo o ácido fólico e não tive problemas em falar com o médico sobre o impedimento ao trabalho nocturno (o que na primeira aceitei até aos 08 meses...!).
Desta vez, entrei na grelha de partida com mais dois kg e, talvez por isso ou não, não me habituei ao crescimento abismal do peito logo de início. Da mesma forma, a barriga arredondou e eu senti-me gorda. «É que da outra vez não foi assim», ouvia-me a dizer...
O que descobri ser igual e deixei de achar que estava relacionado com as mudanças de estação do ano, foi aquela passividade e até desânimo do primeiro trimestre. O que descobri ser maior, mas mesmo muito maior (para além do peito e barriga) foi o sono, a começar muitas vezes antes das 22H30 e talvez sob influência dos - esses sim, totalmente novos a cada dia que passa - três anos de maternidade.
Enjoos, nada. Como se desta vez o corpo já reconhecesse tudo isto. E talvez seja mesmo isso, não sei, é uma segunda vez mas já não é tudo totalmente novo.
As contracções, por exemplo. Agora sei exactamente quando as tenho (aquelas não dolorosas que representam a preparação do útero para o grande momento), já não preciso de uma máquina de ctg para saber disso.
E há o toxoplasma, é importante de referir. Eu não sou imune ao dito. Não era da primeira e tornei a não ser da segunda. E se me achei informada pelo médico antes, agora, pelos meus próprios meios acrescentei mais alguns dados relevantes. E por isso comi ontem uma deliciosa sandes com carne e salada lá dentro. Não o faço por hábito, mas fi-lo ontem. Sem stresses e angústias.
E agora aguardo ansiosamente pelas iguais e diferentes mexidelas dentro de mim, pelo ondular da embalagem exterior, a mostrar a dança de quem anda lá por dentro. Ou por soluços, nunca antes experimentados.

Rita

A propósito da fotografia... não confirmo nem desminto a existência cá por casa, numa gaveta da casa-de-banho, dos dois ditos testes... até porque isso seria um romantismo um bocado nojento, que pode vir a denegrir a minha imagem...

8 comentários:

Sónia disse...

Nada nojento!!!

Eu que não me lembrei disso!!!!

Quando leio testemunhos como o teu, chego à conclusão que foi uma Mãe de 1º viagem com atitudes de 2º viagem!! Às vezes acho que andava demasiado descontraída!!

Anónimo disse...

olha Amiga eu cá confirmo que guardo religiosamente os dois testes (enfim isto tb revela a pessoa que sou...)!!!
Mais uma vez as tuas descrições fantásticas me deixam com água na boca :) ai meu Deus se não tivesse este contraceptivo instalado...
Beijos grandes
D

Rutinha disse...

rita e ainda bem que não tens enjoos mulher, só isso já é meio caminho andado eheheh.
tu ainda nao sentiste soluços e eu ainda nao sei distinguir as contracçoes :) qto à comida, tb sou descontraida nunca gostei de carne crua, o marido passou a tratar do areão e saladas só em casa, de resto faço a vidinha normal!

que bom q está tudo a correr bem!

ps-e para qdo o nosso lanchinho?

Oficinas RANHA disse...

Ahahahah!
Fico muito contente por afinal não ser a única a não deitar os testes fora... estava a sentir-me preocupada...

Quanto à descontracção: devo dizer que, adiante o facto de nunca ter tido problemas durante a gravidez, a primeira também foi descontraída. Mas houve mais cuidados, apesar de tudo, com os tempos das consultas, dos ac-fol e folifer, com as saladas e carne crua fora de casa... (a carne custa mesmo, adoro-a crua) Agora é tudo muito diferente, quase nem se pensa nisso... até porque os riscos da toxoplasmose (em relação às saladas) são essencialmente durante o primeiro trimestre... os cuidados são por isso ainda mais descontraídos...

Rute: eu também fui incapaz de distinguir o que eram contracções na 1ª viagem. Sabes quando a barriga fica toda dura, dura por inteiro, por curtos períodos de tempo? Vais constatá-lo nos CTGs, é simultâneo com a subidinha da antena no gráfico. É uma contracção. O que é diferente na 2ª viagem é que nos apercebemos delas logo cedo, mesmo quando o bebé ainda não ocupa a barriga toda... talvez no final dos 3 meses já se sinta... nada de preocupações enquanto não forem ritmadas, é só um "treino" do útero para o grande momento... Mas claro, não têm nada a ver com as do dito grande momento, antes tivessem, eheheheh...
Ah, em relação aos enjoos, tive-os na 1ª gravidez, mas nada de extraordinário, bastante controláveis... agora foram só uma ligeiríssimas náuseas, nada de Nausefes...

Beijocas a todas,
Rita

pimenta rosa disse...

eu também tenho o meu bem guardado!!!
que bom que tudo corre bem :)

nat disse...

:D************

Li*Azevedo disse...

parabéns
=)
**

www.tudoquesefaz.com disse...

:) Este discurso fez-me sonhar:) Adorei as descrições e as tuas palavras... Quando tiver o meu primeiro teste positivo vou guardá-lo religiosamente:) Um beijinho com tudo de bom!
Su