segunda-feira, setembro 22, 2014

10 Livros que ficaram comigo

Fui desafiada no facebook a nomear 10 livros que de alguma forma ficaram comigo não tendo de ser os livros certos ou grandes obras literárias. 
Como sempre, o difícil será escolher. Numa estante cheia de livros, quase todos ficaram na lembrança. E porque nos últimos tempos tenho lido muito pouco relembro alguns dos que nomeei em tempos e acrescento mais uns quantos. A ordem porque estão apresentados não tem importância nenhuma, esclareço.
Aqui vai a minha lista
  1. "Rosa minha irmã Rosa" da Alice Vieira. Na altura em que eu era, nem sempre a orgulhosa irmã mais velha, recebi do meu pai este livro, e percebi-me a mim própria um bocadinho melhor.
  2. "O Meu Pé de Laranja-Lima" de José Mauro de Vasconcelos. Nem imaginam as vezes que foi lido e relido... sempre com muitas lágrimas a acompanhar.
  3. "O Velho e o Mar" de Ernest Hemingway. Li-o pela primeira vez numa biblioteca de turma e gostei muito. Li-o de novo muitos anos depois e ainda gostei mais.
  4. A trilogia de "Subterrâneos da Liberdade" - "Os Asperos Tempos", "Agonia da Noite", "A Luz no Túnel" de Jorge Amado. Na adolescência, depois de ter lido "O Cavaleiro da Esperança" também do Jorge Amado, que gostei muito, encontrei estes livros na estante dos meus pais. Os "Subterrâneos da Liberdade", como outros que li na época, vieram reforçar as minhas convicções políticas, ajudaram-me a compreender melhor o trabalho clandestino por um mundo melhor.
  5. "Ensaio sobre a Cegueira" de José Saramago. O retrato nu da sociedade. Tão esmagador que nos deixa angustiados.
  6. "Do Amor e Outros Demónios" de Gabriel Garcia Márquez - o livro que mais me marcou do meu escritor preferido. Mas do Gabo poderei também nomear  "Cem anos de Solidão", o mais famoso livro da sua obra, ou o "Viver para contá-la" se quiserem entender a sua evolução como autor.
  7. "Servidão Humana" de W. Somerset Maugham, um livro que ninguém deve deixar de ler. E se quiserem leiam também "O Fio da Navalha" do mesmo autor.
  8. "O velho que lia romances de amor" de Luís Sepúlveda. Uma história linda.
  9. "Diário" de Anne Frank, para não nos esquecermos do holocausto. E pelos mesmos motivos dos dois últimos livros, nomeio também
  10. "A rapariga que roubava livros" de Markus Zusak...
Com toda a certeza nomeava aqui muitos mais... 
Ana Cristina

2 comentários:

ACAROL disse...

"O velho que lia romances de amor" é lindo.
Bela lista a tua.
Ana Carolina S

Oficinas RANHA disse...

Obrigada pelo teu comentário Ana Carolina.
E sim, "O velho que lia romances de amor" é uma bonita história, e muito bem escrita.
Beijinhos da Ana Cristina