quinta-feira, outubro 07, 2010

Interlúdio risonho com a B. de 13 anos

Eu e a B., de 13 anos. Uma conversa séria, já pela noite dentro.
Enquanto escrevia, a B. ia-me elogiando. Primeiro, porque razão não tinha o cabelo comprido. Depois, que ficava bem assim. A seguir eram os meus olhos, como ela gostava dos meus olhos. Perguntou-me também se era amiga dela. E de repente, no meio destas e de outras expressões, dos balanços corporais que fazia ao som da música da rádio e dos corações rabiscados no pedaço de papel à sua frente, perguntou:
- Tem filhos?
- Sim, tenho dois.
As idades e os nomes. Alice de 05 e o Vasco de ano e meio. E claro, a pergunta sacramental:
- Que idade tem?
- 33. Não, 34.
A boca muito aberta, o espanto em toda a sua expressão:
- Não!!!!!!! Está a gozar comigo??????!!!!!!!
- Não, claro que não.
- Mas parece tão nova...!!!!!!!! A sério!!!! É que é mesmo a sério!!! É que parece mesmo nova!!!!
Eu a rir à gargalhada (mais ou menos aquele tipo de rir para não chorar) e a garantir-lhe que, com 34 anos, também não era assim tão velha. E ela impassível à minha afirmação, contente por arrancar gargalhadas e por, obviamente, eu parecer contente com o elogio:
- É que é mesmo a sério, parece mesmo nova...!!!!! Dava-lhe p'raí uns 20, 21... mas não, é velha...!!!! E parece mesmo nova, a sério...!!!
Rita

3 comentários:

Oficinas RANHA disse...

Bem Rita, 20-21 é um grande elogio ...
Beijinhos da mana mais velha
;)

Anónimo disse...

Que grande elogio.. mas depois logo a seguir vem .. afinal é velha..
LOLO não sei se ria ou se chore.
Beijos da Tina

rutinha disse...

bem rita, afinal és velha e nao sabias!!!