terça-feira, junho 23, 2009

Das férias 4


Nesta altura do ano, o Alentejo está carregadinho de cegonhas. Adoro cegonhas. Namoro-lhes os ninhos e fico apaixonada quando as vejo nos campos, no alto da sua elegância...
Num das idas ou voltas da praia, explico como as cegonhas me dão uma sensação inexplicável de esperança. A Cristina teoriza sobre o facto disso poder estar relacionado com o antigo costume de se dizer aos miúdos que eram as cegonhas que traziam os bebés e de como esse tipo de histórias pode ficar agarrado a nós, mesmo que não nos lembremos de tal nos ser contado ou sequer de alguma vez o termos acreditado...
Ocorre-me mais tarde que não seria essa a razão e sim o facto de estarmos diante de uma ave migratória, que nos habituamos a ter por perto na altura do calor e da praia e do Sol... e das férias...
Talvez não seja nada disso. Talvez eu tenha simplesmente um fascínio ou carinho especial por cegonhas, tanto quanto o gosto pelos pardais e melros do meu páteo, pelos voos das aves de rapina que por vezes se vê das estradas, pelas andorinhas ou mesmo pelos demasiados pombos das zonas turísticas de Lisboa, imortalizados nas memórias de todos os meninos que lhes deram migalhas de pão em tempos... Ou tavez eu goste mesmo de as rever; algumas, já nossas conhecidas, em pousos nossos conhecidos, mas com direito a família aumentada (como a nossa), com os novos membros a deixarem-se ver e até fotografar cá de baixo...
Rita

2 comentários:

Alma Minha disse...

Bem meninas, já vi que as férias foram boas!!!
Agora é a minha vez...
Até breve
Beijo

Cátia disse...

ola ola !!! as ferias foram boas ?? venha espreitar o meu cantinho!!!