domingo, abril 13, 2008

Aeroporto, aviões, chegadas e partidas

Ontem a última saída do dia foi ao aeroporto.
Como eu gosto do aeroporto...!
Gosto obviamente quando vou de partida, porque isso representa viajar para outras paragens, mas também porque gosto de todo o processo da viagem propriamente dita... a ansiedade de tipo agradável com que se acorda no dia, as duas horas prévias com que se vai para o aeroporto para fazer o check-in e basicamente fazer tempo (tempo esse que, bem vistas as coisas, para o viajante não serve para nada), a entrada para o avião e tudo o que se relaciona com ele (sim, eu sou das que gosto da comida embalada separadamente e dividida por aquelas caixinhas pequeninas de plástico, acho o máximo!)... e até a adrenalina da descida...!
Gosto do momento da chegada. De quando eu chego (foi tão bom mas venham as malas depressa que quero é abraçar o pessoal que está lá fora à minha espera) e de quando vou buscar alguém que chega.
Estar a olhar para a rampa à espera de ver aparecer alguém é um exercício de dedução fascinante. Vê-se o placard dos voos chegados e tenta-se relacioná-los com as pessoas que vão aparecendo: a maneira como vêm vestidas, o bronze, a fisionomia, algumas recordações de que se fazem acompanhar (as estrelícias, por exemplo, são típicas do pessoal que vem da Madeira)...
Claro que não é muito agradável chegar atrasado e concluir que quem esperamos está atrasado... Tina, ainda te recordas daquele dia em que a Cristina chegava de um "qualquer estrangeiro" no dia do seu próprio aniversário...?! E de termos ido todos para lá recebê-la, em grande festa, deixando em casa tudo pronto para a comemoração... e do voo adiado para o dia seguinte... e do regresso de todos nós para casa e da decisão de começarmos a festa sem a aniversariante... e do telefonema dela de outras paragens que não as iniciais a dizer que tinha aceite um outro voo de compensação e que chegaria tarde mas mais cedo do que o tarde previsto antes... e do nosso retorno, todos contentes, ao aeroporto umas horas mais tarde... e do festejo tarde mas ainda a tempo...?!
Sim, porque quem viaja muito terá imensas histórias para contar... mas quem vai buscar viajantes também aprende a tê-las.
Uma boa semana a todos.
Rita

5 comentários:

Aramar disse...

Estou contigo Rita! Adoro o aeroporto, quer pelos rituais da ida, quer pelos da chegada :)
Beijinhos!

Joana disse...

Eu pessoalmente, que até viajo bastante, detesto o aeroporto... a espera, o tempo parado, as regras, não ter que fazer, esperar outra vez...E não gosto de andar de avião... se pudesse ia de comboio para todo o lado. Gosto mais de ir buscar pessoas. Com balões e serpentinas, de preferência, como já fizemos muitas vezes. Daquilo que mais gosto é chegar. Mas mesmo isso, antigamente era um mar de gente à minha espera, e agora... apanho um taxi e espero não ter que me chatear com ele pela cobrança indevida de valores e taxas excessivas...
Bjs Joana

DM disse...

Acho que é o cheiro que nos indica a mistura de sentimentos, expectativas, memorias, medos, vontades que faz do aeroporto esse sitio semi magico. Eu ainda me lembro quando o aeroporto do Portela tinha quele sitio lá em cima para ir ver os aviões do entusiasmo que era a persepctiva de lá ir!

Oficinas RANHA disse...

Joana,

Que não seja por isso, passa-se já a organizar uma comitiva de espera quando fores para fora!!!!

DM,

Eu adorava que esse sítio ainda existisse... coisa tão boa, ver um monstro daqueles levantar voo e aterrar... é algo que me transcende e apaixona...

Beijinhos a todas, Rita

Oficinas RANHA disse...

Eu também gosto...
e no ano passado estive no aeroporto de Amsterdão a ver os aviões a chegarem e a partirem... gostei tanto (até do frio e vento que faziam em pleno verão... estava de férias...)
Ana Cristina