quinta-feira, setembro 03, 2009

Coisas nossas...

A Alice anda numa fase espectacular. Não sei se das férias prolongadas (desde Julho que quase não vai à escola), se da diversidade de experiências realizadas e pessoas com quem tem contactado neste período, se de um salto qualitativo relacionado com a mudança da idade... Sei que nos últimos dias me lembro imenso da Micas, há uns tempos, a consolar-me de um dia especialmente difícil com a minha filha: «Vais ver que vai passar... com o Tomás também foi assim, um ano e meio ou dois anos mais difíceis... depois, mais ou menos a partir dos quatro anos, pareceu até que de repente, de um dia para o outro, ele passou a entender-nos e ao que esperávamos dele muito melhor... e passou a ser tudo mais fácil...»
De facto - é o que me apetece dizer. A Alice anda engraçadíssima, o raciocínio verbal deu uma grande passada em frente e, com ele, o grau de compreensão, a capacidade para conversar, ironizar, brincar e, como não podia deixar de ser, aldrabar. Resultado: grandes momentos, gargalhadas partilhadas, sorrisos cúmplices entre mim e o pai, tiradas novas todos os dias, infelizmente a uma velocidade impossível de registar e até de fixar...
Para além disso, descobriu também o prazer de brincar sozinha e inventa constantes histórias, músicas, teatros, danças. Recordo-me de mim mesma. Qualquer coisa serve para personagem de uma história de encantar, uma princesa, uma mãe, uma feiticeira: os bocadinhos de esparguete cozida no prato, os preguinhos do novo jogo de encaixar que os tios ofereceram, os talheres, os ganchos, bocadinhos de fita-cola...
Sei que estamos de férias/licença, que o Sol ainda brilha muito sobre este nosso lado da Terra, que a temperatura está amena e que tudo corre com menos stresses, ansiedade, cansaço e peso. Sei que também depende de nós. Mas o que interessa é que o Sol brilha sobre este nosso lado da Terra, a temperatura está amena, ainda virão dias de praia, ainda estaremos todos muito juntos durante mais uma imensidão de 24 horas...
Rita

2 comentários:

Sónia disse...

Concordo quando dizer que fica mais fácil com a chegada dos 4 anos! É verdade! As brincadeiras, o raciocínio, mas a teimosia está em força!! Os testes constantes à minha paciência tiram-me do sério!!

Joana disse...

cada vez mais acho que o nosso estar influencia muito o estar dos nossos filhos. Em alturas mais stressantes, eles andam mais difícieis, e em alturas mais leves eles nos acompanham. São sem duvida um optimo espelho do nosso momento! Espero para ver essa miuda catita! bjs