quarta-feira, março 21, 2007

Dualidade maternal

Primeiro facto:
A Alice está - e julgo que a palavra adequada é mesmo aquela que me vem logo à cabeça - intrépida. De repente parece ter redobrado a energia e passa o tempo a correr de um lado para o outro, a gritar e a desafiar-nos. Ontem de manhã, em menos de uma hora, que é o tempo que medeia o seu acordar e a nossa saída de casa em conjunto, conseguiu aprender a técnica de subir para o sofá e para a mesinha de apoio e fê-lo dezenas de vezes para se aperfeiçoar. Na febre alpinista, dei com ela a tentar subir pelo conjunto de gavetas da cozinha, agarrada ao tampo de granito.
Fica tão impossível depois do seu gasto diário de infatigabilidade, que andamos a deitá-la antes das 20H30.

Segundo facto:
Interrogo-me se alguém poderá pensar que a minha filha de dezanove meses é vítima de algum tipo de violência. Neste momento tem: várias nódoas negras nas pernas, o lábio superior inchado e com uns grandes arranhões provenientes de uma queda no Domingo, um corte pequeno no lábio inferior, de uma queda na Segunda-feira e um hematoma na cara envolvendo parte da testa e lado do olho, de uma queda na Terça-feira.

Conclusão:
Olho para a Alice, a minha pequena bárbara de caracóis loiros, olhos azuis e pele clarinha, e sei que, ao mesmo tempo que a sua teimosia tem capacidade de me enfurecer em segundos, não sou capaz de deixar de sentir um enorme orgulho na sua temeridade, destreza e independência.

Rita

4 comentários:

Ana disse...

:)Tem a quem sair!

A margarida curiosa disse...

Ai, ai preocupações de mãe. Não sou mãe ainda, mas vejo os sobrinhos tão hiperativos que parecem estar ligado a tomada.....está fase parece que lhes faltam o andar, pois só sabem correr...mas isso passa e outras coisas vem, aproveita as trakinagens da pequena...bjinhos Sá

Tina disse...

Olha miga aproveita... porque esse tempo passa depressa, mas sabes bem a quem ela sai hihihihi

rutinha disse...

adorei ler este post!e ela que parecia tao sossegadinha :)