quinta-feira, fevereiro 19, 2009

Estou grávida, tenho direito a pedir estas coisas, pronto!

Fotografia tirada sem flash, para o espelho do roupeiro da arrecadação não fazer reflexo, nas quase quase 34 semanas, e sim, é a minha tábua de passar a ferro ali à direita

Já não me lembro de com quanto tempo estava na gravidez da Alice quando me ocorreu que nunca tínhamos tido um bebé a nosso cargo. Foi mais para o fim, porque foi sempre correndo tudo tão bem, com tanta descontração, que nunca sofremos de ansiedades e stresses.
Na altura eu tinha muito presente as histórias de duas colegas que haviam sido sempre muito autónomas e aquando do nascimento do primeiro filho, tinham sofrido de inícios de depressões pós-parto. O conselho que retirava dali era a necessidade de pedir ajuda ou de, principalmente, não a recusar.
Foi assim que nasceu a convocação, mãe e irmã informadas de que contávamos com elas a acampar na nossa casa assim que a bebé nascesse, porque basicamente não percebíamos nadinha do assunto.
E depois veio a Alice, tão calma, tão boa onda, tão sem choros e lágrimas, tão adaptável a todas as rotinas impostas, que nem parecia nossa filha, nós que jurávamos que, pestes como tínhamos sido, alguma sina iriamos ter de pagar. E a meio da primeira semana lá rumou a minha mãe a dormir novamente na casa dela, aquilo lá era neta que se apresentasse, nem trabalho dava.

Pronto, tudo ok, mas isso foi nessa altura. Agora, as probabilidades de nos ocorrer o mesmo são ínfimas. Primeiro, porque já tivemos a nossa quota parte de sossego. Segundo, porque continuamos a ter sido umas grandes pestes em pequenos. Terceiro, porque não iriamos ser os pais com mais sorte do mundo, a passar pelo paraíso uma segunda vez.
E é por isso que se faz passar a nova convocação: mãe e irmã, ficam informadas que de certeza que não vamos perceber nada deste bebé, deste que decerto nos fará pagar a dobrar o sossego que tivemos com a primogénita. Quando a altura chegar, o sofá está pronto, que agora já não temos o colchãozito ranhoso da outra vez.

Rita

7 comentários:

Oficinas RANHA disse...

Agora que já passaram 3 anos e meio não te lembras das vezes em que a A não foi assim tão anjinho...
E já sabes que eu estou, como sempre, às ordens...
Ana Cristina

Ana disse...

E eu, apesar de longe também estou às ordens.
Ana prima

Sónia disse...

Nada melhor que elas para ajudar!! Ah pois, não é só escorrer baba!!

Tás gira!!!! E bem elegante!! upa, upa!!

34!??! Já?!?! Bolas!!!!

Pocahontas disse...

Eu também sou candidata.
As nossas mães e irmãs são assim...fantásticas.
Estás linda, cada vez mais elegante!! Bjs

Anónimo disse...

Pois eu acredito que mesmo que o novo membro da família seja calminho vais precisar da ajuda preciosa da tua mamã e mana, ainda que seja só para darem atenção à Alice enquanto tu cuidas do biju!!!
Estás fantástica mamã elegante!!!
beijo
D

pimenta rosa disse...

pois eu penso como tu, se a migalha dorme como uma anjo mas não come nada, então a haver uma próxima vez vamos de certeza ter uma criança gorducha acordada toda a noite empanzinada com a comida :))) estás linda e muito elegante****

Rutinha disse...

34 semanas!!!oh gravida temos de combinar o lanche, antes q o moço decida vir mais cedo como o meu...ps - gostei mto de ler este teu post