quinta-feira, outubro 01, 2009

Que sirva de alerta...

Ontem, a Educadora da Alice chamou-me a atenção para o facto dela ter passado o dia todo com muito pouca energia, quase sem falar, com pouco apetite, imenso sono, constantemente à procura do colo e mimo dos adultos. Como se não bastasse para me intrigar, enquanto me encontrava a receber estas informações, a Alice vomitou.
Uma vez chegada a casa, pensando que poderia ser uma reacção ao antibiótico para a amigdalite que ela ainda estava a tomar, fui ver a bula. Que fique claro que eu sou daquelas que lê sempre as bulas e que reclamo com todos os que, à minha volta, não o fazem. Desta vez, eu era digna do meu próprio ralhete. E eis que, da leitura, resultou a constatação que a Alice se encontrava a tomar o dobro da dose de antibiótico que devia para o seu peso e idade. Um engano, ou na prescrição (é o que me parece), ou na farmácia. Um engano não especialmente prejudicial, como a pediatra veio a explicar, mas causador de irritabilidade difestiva - o que terá provocado o vómito e o mal-estar geral. Um engano que, a meu ver, pode ser compreensível, porque todos os temos, mas um engano que poderia, em outras circunstâncias, ter saído muito caro...
No rescaldo do sucedido, fica então o alerta, para que ninguém deixe de ler, NUNCA, as bulas dos medicamentos e confirmar bem as doses receitadas...
Rita

5 comentários:

Voluntários disse...

Eu tb leio SEMPRE!!!!!
Apesar de muitas delas terem datas de revisão de há 10 anos!!

Sónia disse...

Ups, era eu!!!

Rutinha disse...

eu tb eu tb!

Anónimo disse...

bem... tou boquiberta!!!
eu confesso q só algumas vezes leio as bulas, e nem de propósito: um dos ultimos medicamento receitados por um médicos ortopedista ficaram intactos na gaveta pq tive medo de os tomar quando vi a quantidade de conta indicações...
Bjinho
D

Oficinas RANHA disse...

Mas gentes, deixem-me dizer-vos mais uma coisa:

A pediatra disse que em algumas ocasiões, os médicos receitam doses superiores às indicadas na bula... O melhor mesmo é, caso hajam dúvidas, ligar para uma linha telefónica que há agora, só sobre medicamentos, penso que é o número 800 222 444...

Rita