sexta-feira, fevereiro 27, 2015

Post atrasado sobre o Carnaval

Faço posts atrasados porque me interessa que fiquem aqui descritas algumas coisas que se perdem na memória se assim não for. Venho consultá-las mais tarde e gosto de as ler, trazem-me recordações mais completas dos bons momentos do que só as fotografias. 
Neste caso, o post é sobre o Carnaval e pode ainda interessar a outras pessoas que gostem de pôr mãos à obra. 

Iniciei no ano passado as tentativas de ir de encontro aos desejos deles em relação ao que se queriam mascarar e este ano, apesar do tempo não ser tanto por já não estar de licença, continuei na mesma senda - o que implica começar a incentivá-los a pensar no assunto assim que se dá a época de Natal e Ano Novo por finda. 

Este ano a Alice queria ir de boneca. Pensei logo na saia de tule porque tinha encontrado uns sites com indicações sobre como fazer e o resultado era bastante giro - só aconselho a quem queira experimentar que escolha tule mais grosso e que corte tiras largas, evitando assim que as mesmas se enrodilhem com muita facilidade umas nas outras. Usei depois: uns collants e uma camisola branca onde apliquei uns remendos com alinhavo para poder aproveitar as peças mais tarde (nomeadamente a camisola); umas luvas brancas; e uma camisola simples onde apliquei fitas a fazer lacinhos, botões coloridos e uma tira de bordado inglês - tudo para oferecer um aspeto mais abonecado.


Também fiz a peruca, que ainda está por aperfeiçoar. Usei a técnica inicial que descobri neste blog: um retângulo seguindo o tamanho da linha central do crânio onde cosi as lãs às meadas. Como esta peça, por si só, deslizava pela cabeça, apliquei-a depois nuns collants antigos da Alice. Na foto em baixo à direita até se pode ver que, por baixo da lã, existem os buracos das pernas cortadas aos collants... ainda estou para fechá-los, mas o Carnaval acabou e deixou de haver pressas (lá para o ano, talvez se conclua, eheheh)...


A máscara do Vasco era de Lobo Cinzento, correspondia à personagem de um livro que a sua sala tinha escolhido como tema do Carnaval deste ano. Usei um fato de treino onde apliquei pedaços recortados de um tecido peludo, dos joelhos até aos pés, dos cotovelos até às mãos, em torno dos ombros e no capuz. Comprei também umas luvas pretas sem dedos e cosi-lhe umas "garras" de feltro nas pontas, o que só por si foi um sucesso estrondoso, a partir do momento que ficaram feitas o Vasco pedia-me todos os dias para ir com elas... [Atenção: não valorizar o estado de sujidade do fato, a foto já foi tirada no fim do Carnaval, depois de ser usada durante cinco dias...]


Também cosi o tecido em alinhavo, para poder aproveitar o fato de treino, no caso de lhe deixar de interessar a máscara de Lobo no futuro. Faço sempre estas coisas, mas na verdade não sei se terei coragem para desfazer um trabalho que me deu tanto gozo a fazer...
O trabalho maior foi revestir o capuz, por não ser fácil traçar-lhe o molde. Por ser felpudinho (a casa fica toda suja por causa dele), o tecido ajuda, não deixando ver bem as indubitáveis  imperfeições. As orelhas são em feltro cinzento e apliquei-as no capuz com a técnica que se pode ver na foto em baixo, à direita, para conseguir que ficassem a pé. Ao tecido cinza escuro tive depois que fazer uns cortes, para as deixar passar.


Quanto à Joana, para permitir que uma vez sem exemplo a tratassem pelo diminutivo (que eu detesto), foi de Joaninha. O fato, embora sendo ideia minha, foi feito pela escola, eu já não conseguia... Ficou o máximo. Comprei-lhe o único fato de treino preto que encontrei na Kid to Kid e na escola coseram-lhe uma saiinha à frente das calças (eu nem o teria feito, mas ficou o máximo) e as asinhas nas costas. Depois colaram-lhe umas bolinhas de esferovite no capuz e um pompom no rabiosque (não sei se as joaninhas têm cauda, mas não quero saber, esta tem). Claro que a miúda até podia ir de sem abrigo que ficaria sempre gira, é o que dá ser uma minúscula simpática.

Rita

Sem comentários: